quinta-feira, 28 de março de 2013

RESENHA: Não posso me Apaixonar


Fabiana Araújo

Gabe Sullivan desde pequeno queria ser bombeiro e sua família se preocupa com sua profissão desde então. Sua mãe e irmãos já estão acostumados com o fato de Gabe, vez ou outra, ter de abandonar uma reunião familiar para atender um chamado. Embora se preocupem com os perigos que ele enfrenta a cada pedido de socorro respeitam sua escolha e o admiram por isso. Gabe tem como regra nunca, jamais, se envolver com uma vítima de incêndio.

Megan Harris é contadora e trabalha em casa para poder cuidar de sua filha Summer, de 7 anos. Há 5 anos ela perdeu o marido de forma trágica. O acidente que o vitimou marcou a vida das duas com muita tristeza e sofrimento. Sofrimento que fez Megan  prometer a si mesma nunca se envolver com homens que se arriscam diariamente. 

Parecem personagens bem resolvidos não é mesmo? Porém tudo muda quando o apartamento de Megan pega fogo e Gabe se arisca para salvar mãe e filha do incêndio. É a partir desse evento que suas vidas se encontram e por mais que  ambos resistam às vezes é impossivel não se apaixonar.

Esse é o terceiro livro da série Sullivan e na minha humilde opinião o melhor até o momento. Gabe Sullivan me surpreendeu bastante, embora ele seja bombeiro (mulher modo on...OI!!! rsrs) confesso que estava com um pé atrás com o personagem. Não sei, ele meio que me contrariou com a arrogância com a qual tratou Megan no hospital. Ela só estava agradecendo por tê-las salvado, não estava a procura de um relacionamento ou algo do tipo rsrs. (Embora a química fosse notória desde o inicio kk). Porém, durante a narrativa Gabe se mostra o mais romântico dos irmãos (pensando apenas nos livros anteriores ok?). Ele se mostra paciente, respeita as atitudes de Megan e tenta não se apaixonar. O que às vezes nos irrita bastante, por que que mal há nisso?:P

Megan no entanto é o caso clássico de mãe dedicada e lutadora. Acostumada a se virar sozinha desde que perdeu o marido ela se dedica a pagar as contas e a cuidar da filha. Depois de tudo o que passaram juntas, ela quer de todo o modo se afastar do desconhecido, de todos os sentimentos que Gabe desperta nela sejam químicos ou emocionais. Ela tem medo que Summer se apegue a uma figura paterna e um dia a estória se repita.

Os ingredientes são os clássicos dos livros anteriores: um homem e uma mulher, que o destino reúne num determinado evento marcante da vida e que não querem se apaixonar. Parece mais do mesmo não é verdade? Porém a narrativa está bem mais romântica e as cenas mais elaboradas. Sobre as cenas ‘hot’ espere por muitas delas como nos volumes anteriores. E sim, com aquele vocabulário bem explicito e característico. Mas bem inéditas, diferentes e únicas de cada personagem. Gostei muito de cada uma delas. Bella Andre sabe como nos deixar sem ar ou nos fazer corar.

O diferencial da obra está na participação de uma criança no enredo o que deixa a narrativa com um toque mais familiar. Summer tem uma presença essencial na estória e suas aparições são doces e muitas das vezes bem cômicas. Quem poderia antecipar ‘Heavenly’? Eu não conseguiria ser tão astuta.Parece estranho mencionar 'familia' em um livro com tematica herotica mas esse foi o ponto que mais me agradou no livro, por isso ele se tornou especial e recebeu 4 estrelinhas na avalição. 

'Não posso me apaixonar' é uma ótima indicação para quem gosta de uma narrativa sensual e breve. Recomendo.


Booktrailer:



Sobre o livro:
Titulo: Não posso me Apaixonar
Autor: Bella Andre
Editora: Novo Conceito
Páginas: 302

Série Sullivan: 

2- Por um Momento Apenas
3- Não Posso me Apaixonar
4- I only have eyes for you*
5- If you were mine*
6- Let me be the one*
7- Come a little bit closer*
8- Always on my mind*
* (ainda não publicados no Brasil)

Site oficial da autora: http://bellaandre.com/


Promoção :

Vamos sortear um kit com 10 marcadores (foto abaixo) para quem comentar nesta resenha. Para participar, basta postar comentário com conteúdo (nada de "vou ler", "ótima resenha", etc) e deixar seu email de contato. Dia 12/04 realizaremos o sorteio. Boa sorte!



Resultado!!!


1-Fal Abobrinha
2-Claris Ribeiro
3-Biih
4-Surtos da Juleka

E quem ganhou o kit de marcadores foi Fal Abobrinha (número 1). Parabéns Fal. Enviei seus dados pro e-mail (fabianaa.araujo@ig.com.br)  para que eu envie seu prêmio. Obrigada a todos pela participação :)

sábado, 23 de março de 2013

RESENHA: Laços inseparáveis

Monique Melo

A autora de cinco romances de sucesso, Emily Giffin, lança uma história inesquecível de duas mulheres, as famílias que a fazem serem quem são, e a lealdade e o amor que as ligam. Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta... para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é. Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce. Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.

A Emily Giffin é especialista na arte de por em palavras os sentimentos mais secretos de uma pessoa. Neste livro, ela o tempo todo nos faz questionar as atitudes e decisões de Marian: ora a vemos como vilã ora como vítima, para posteriormente, simplesmente perceber que ela é tão passível de erros quanto todos nós. Mesmo chegando a esta conclusão, teve momentos que eu quis muito compartilhar de seus motivos, defender seu ponto de vista; já em outros, culpava suas escolhas e a achava egoísta. Confesso que adoro quando os personagens me fazem mudar de ideia constantemente.

Já os questionamentos adolescentes de Kirby ganham força com sua condição. Ela se sente constantemente uma estranha em casa, embora sua família não a trate de forma diferente e se preocupem muito com seu bem estar e seu futuro. Em determinados momentos, é meio impossível não se irritar com algumas de suas atitudes, principalmente quando tenta ser uma rebelde sem motivo, embora, no final, seja bem responsável e sensata para sua idade. Foi uma personagem das mais verossímeis do livro e olha que ele está repleto de personagens assim.

A frágil ligação que Marian e Kirby começam a construir é sempre ameaçada por suas diferenças e pelo peso do erro de Marian, que começa, aos poucos, perceber o quanto suas decisões passadas podem interferir diretamente no seu futuro, mesmo que a longo prazo. Isso se reflete em várias áreas da sua vida, mas em especial com o seu atual namorado. Também foi bem interessante ver o quanto sua criação pesou sobre suas decisões.

Essa dificuldade de relacionamento não se torna presente quando a Kirby conhece outra pessoa importante para sua vida.  Os dois constroem uma relação bem próxima ao segundo contato. Sem os anseios e medos de Marian para interferir, ambos percebem suas similaridades espontaneamente e conseguem entender um ao outro com bastante facilidade. As páginas dedicadas aos dois foram as que mais me encantaram por seus diálogos inteligentes e cheios de compreensão mútua.

Focando nos sentimentos das duas, "Laços Inseparáveis" trata principalmente de família, decisões e suas consequências, e da busca ao passado e sua relação com seu presente. Um livro muito bem escrito e no qual a autora soube dosar perfeitamente a emoção e o ritmo para cada momento. Fiquei muito envolvida com o enredo e torci bastante para que Marian e Kirby conseguissem, tanto juntas quanto individualmente, encontrar o equilíbrio entre a vida que deveriam ter tido e a que elas realmente tinham. Adorei o livro e espero que vocês gostem tanto quanto eu.

Sobre o livro:
Laços inseparáveis
Autora: Emily Giffin
Ano: 2012
Editora: Novo Conceito
Páginas: 445
Booktrailer:


terça-feira, 5 de março de 2013

RESENHA: O filho de Netuno (Os heróis do Olimpo #2)


Monique Melo

"Em ‘O Filho de Netuno’, Percy está confuso após acordar de um longo sono e não sabe muito mais que o próprio nome. Mesmo quando a loba Lupa lhe conta que ele é um semideus, sua mente continua nebulosa. De alguma forma, Percy consegue chegar a um acampamento de meios-sangues, mas surpreendentemente o lugar não o ajuda a recobrar qualquer lembrança. A única coisa que consegue recordar é outro nome: Annabeth."


Primeira coisa que tenho que confessar: estava morrendo de saudades de Percy! Eu gostei bastante de "O herói perdido", mas para mim faltava o cabeça de alga. E eu não me decepcionei, já que a leitura ficou bem mais divertida.

Eu sou bem suspeita para falar dos livros do Rick Riordan. Acho sua narrativa maravilhosa, com uma linguagem e um tom que faz a leitura fluir rapidamente assim como diverte enquanto ensina e como sou louca por mitologia de todo tipo, gosto desse misto de história romana e grega. Também aprovei, desde "O herói perdido",  a narrativa em terceira pessoa e as mudanças de ponto de vista entre os personagens principais. Esses pontos somados aos acontecimentos do livro deixaram a leitura bem dinâmica.

Gostei de ver um Percy mais maduro, mesmo confuso com o que está lhe acontecendo, e fiquei bem empolgada com alguns questionamentos e planos que ele faz, assim como lida com sua permanência no acampamento novo. Frank é um personagem bem carismático e adorei sua história. A Hazel tem um passado bem complicado e pelo visto, ela vai ter um encontro com os resquícios da sua antiga vida no próximo livro. Juntos, eles enfrentam muitos desafios e funcionaram bem como condutores da história.

Outra coisa que percebi, é que as séries do Riordan, vão melhorando conforme o ápice da série vai se aproximando. Pelo menos foi assim que me senti lendo Percy Jackson e os Olimpianos. Em "Os heróis do Olimpo" também senti isso. Este segundo livro foi melhor que o primeiro e creio que o terceiro vai ser ainda melhor.

O ruim do livro para mim? O final! Por que? Bem, eu realmente acho maldade deixar o leitor ansioso, curioso e meio nervoso para saber o que vai acontecer em "A marca de Atena" e foi assim que eu fiquei. Não vejo a hora de ter o terceiro livro da série em minhas mãos. Leiam!


Sobre o livro:
O filho de Netuno
Série: Os heróis do Olimpo
Volume: 02
Autor: Rick Riordan
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Páginas: 426
Book trailer:


Outros livros da série:
1. O herói perdido
2. O filho de Netuno
3. A marca de Atena
4. Livro 4 (ainda sem título)
5. Livro 5 (ainda sem título)


Promoção :

Vamos sortear um kit de marcadores para quem comentar nesta resenha. Para participar, basta postar comentário com conteúdo (nada de "vou ler", "ótima resenha", etc) e deixar seu email de contato. Dia 30/03 realizaremos o sorteio. Boa sorte!

segunda-feira, 4 de março de 2013

#BlogueirosPE discute: Livros da discórdia



Oi pessoal! Ontem a noite o #BlogueirosPE realizou o primeiro hangout do ano. O assunto foi "Livros da discórdia", ou seja: livros que geralmente todo mundo ama e nós não curtimos e também livros que adoramos e a maior parte dos leitores não gostaram. Isso tudo discutido do nosso jeito doido de sempre,. é claro.

Participaram desta edição do hangout:

Carissa Vieira - Arte Around the World
Bia Rubens - Livretando
Thyeri Bione e Mateus - Restaurante da Mente



E vocês? Quais são os livros que consideram "da discórdia"? Concordam com nossas opiniões ou tem uma lista totalmente diferente? Comentem!

Monique Melo