domingo, 29 de abril de 2012

RESULTADO: Sorteio de Páscoa #BlogueirosPE



Monique Melo

Olá! O sorteio de Páscoa dos #BlogueirosPE chegou ao fim dia 27/04 e nós já temos os vencedores!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

RESENHA: Herdeiros da Luz – O início da Guerra das Sombras


Monique Melo
 

“A Guerra já começou. Você faz parte dela.”


Will não imaginava que um simples atraso para a escola poderia render tantas aventuras. Desanimado com seu cotidiano, ele não esperava que ao salvar a vida de um senhor chamado Sonnior, tudo iria mudar. Depois desse perigoso encontro, ele está descobrindo como usar magia e o quanto ela será importante para ter êxito numa difícil tarefa: derrotar os Dragões. No meio da guerra entre seres mágicos, humanos e a maldade dos Dragões, Will tem uma grande papel. Mas com a pouca experiência que tem, seria ele capaz de vencer essa batalha?


“Lembre-se de que amizade verdadeira vence qualquer coisa. Você não está sozinho.” – Página 183.

O livro reúne muitos personagens com boas qualidades e que ganham a simpatia do leitor. Bruna foi uma das minhas preferidas e gostei do tratamento dado a personalidade do David e fiquei bem curiosa sobre o futuro dele.

“Nada é impossível para a magia.” - Página 75.

O Will vai descobrindo suas habilidades e muitas coisas sobre magia e o leitor vai entendendo tudo junto com ele. Os elementos mágicos inseridos são bons e foi bem legal acompanhar o aprendizado do Will. As runas me deixaram bem curiosa e gostei das habilidades do Will e da Fiama. 

As descrições tanto dos lugares quanto dos treinamentos do Will são um grande trunfo para o desenvolvimento do livro, mas em alguns momentos me incomodou porque o enredo perdia o ritmo e a leitura ficava um pouco mais lenta.

Mesmo assim, gostei bastante do livro e da narrativa do Gustavo. Acho muito boa a forma que ele muda a direção dos acontecimentos e nos surpreende em alguns momentos. O final me deixou com o coração apertado, mas também ansiosa para saber qual será o rumo que Will vai tomar. 


Sobre o livro:
Herdeiros da Luz
Volume: 01
Autor: Gustavo dos Reis
Ano: 2011
Editora: Multifoco
Páginas: 294

sábado, 21 de abril de 2012

RESENHA: Estilhaça-me – Tahered Mafi

Fabiana Araújo

“Não há arvores como antes, é o que dizem os cientistas. Eles dizem que nosso mundo costumava ser verde. Nossas nuvens costumavam ser brancas. Nosso sol era sempre o tipo certo de luz. Mas tenho frágeis memórias desse mundo. Não me lembro muito de como era antes. A única existência que conheço agora é a que me foi dada. Um eco do que costumava ser.” 

Nhaiiiiii preciso dizer, antes de mais nada, que esse livro é TUDO e mais um pouco. Eu estava tão desesperada pra ler que...OMG. Pessoal, sério, se vocês ainda não tiveram a oportunidade de ler CORRE porque ‘Estilhaça-me’ é sem sombra de dúvidas a melhor distopia do ano!!! O tanto que vocês tentarem imaginar que o livro é bom, ele é muito, muito mais.

Nossa estória se insere em um mundo dividido em 3.333 setores e cujo controle é executado por uma pessoa de poder. E é nesse mundo escasso que se encontra nossa narradora. Juliette é uma garota de 17 anos, nada comum, que possui o poder de matar apenas com um toque. Devido a esse poder ela é mantida presa em uma cela por 264 dias apenas na companhia de um caderno e uma caneta, impedida de ter um único contato com qualquer ser humano. Sem família, sem esperanças e se sentindo um monstro devido a esse poder, ela se concentra em sobreviver. Em respirar. Em não enlouquecer. Até que num certo dia ela recebe um companheiro de cela. Um companheiro, o qual ela nunca se esqueceu.

Eu poderia ficar aqui babando escrevendo outras 302 páginas sobre o enredo do livro mas penso que falar demais pode estragar a trajetória mágica do leitor. Tahereh Mafi nos presenteia com personagens tão envolventes, sedutores e carismáticos que é impossível não devorar o livro. Tenho de confessar que eu adiei ao máximo a leitura, dividi paginas, economizei capítulos e quando terminei a leitura me senti órfã. O livro é tão bom que eu não queria que ele terminasse.

Juliette é uma personagem sozinha. Ela se sente tão anormal, tão diferente e a única coisa que ela deseja é achar o seu lugar no mundo. Ela não tem noção do tamanho do seu poder e na verdade o encara como foi ensinada. Ela o vê como uma aberração, que a torna um monstro. No entanto, o que é um pesadelo para ela significa poder para outros e isso a transforma em uma arma muito poderosa.

 Além de todo esse mistério, Mafi nos presenteia com um romance super fofo e extremamente sensual. Meninas, com certeza vocês irão se apaixonar pelo mocinho. #suspiros.  Não vou mencionar nomes porque descobrir quem é ‘vilão’ e ‘mocinho’ foi um dos melhores momentos do livro. A autora sabe mesmo como nos deixar confusas, curiosas e extremante apaixonadas durante cada linha, cada parágrafo. Mas como sou boazinha vou quotar um momento fofinho ok? Kkkk

“Céus, Juliette, eu a seguiria para qualquer lugar. Você é a única coisa boa que sobrou neste mundo.” 

 A narrativa é leve, descontraída e de uma poesia tão tocante e bela que me faltam palavras para elogiar a altura.‘Estilhaça-me’ é o romance de estreia de Tahereh Mafi, e eu mal posso esperar pelo segundo livro desta trilogia. Pena que só em fevereiro de 2013 nos EUA. #mimimi

Super hiper ultra mega RECOMENDO!

Book trailer: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Z2fkI-UxbQw

Trilogia Estilhaça-me:
1-Shatter Me – Estilhaça-me
2-Unravel me – (tradução livre: ‘Desvenda-me’) 5 de fevereiro de 2013
3- Shatter Me #3 Fall 2013


Sobre o livro:
Titulo: Estilhaça-me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Número de paginas: 304
Site Oficial da autora: http://www.taherehmafi.com/ 
Twitter: @TaherehMafi 

Book Trailler

segunda-feira, 16 de abril de 2012

RESENHA: Garota Replay

Monique Melo

A vida de Thizi estava uma bagunça: após a traição do namorado, seu melhor amigo se afastou e ela tem que lidar com todos os seus sentimentos sozinha, já que seus pais nunca estão em casa e nada contribuem para melhorar a situação. Uma noite, quando Thizi resolve sair para tentar se animar um pouco, ela encontra uma garota que é sua cópia, uma pouco mais arrumada, feliz e segura, mas ainda sim, a sua cara. Assustada, Thizi pensa em várias explicações para a espantosa semelhança entre elas, mas não consegue chegar a nenhuma conclusão. Com sua vida de ponta cabeça, Thizi ainda vai precisar se esforçar e descobrir o que significa o aparecimento da Garota Replay?

“O que você faria se encontrasse você mesma?”

A narrativa leve e fluída da Tammy dá ritmo aos acontecimentos singulares de Garota Replay. Achei uma idéia realmente original usar uma situação tão inusitada para levar a protagonista a fazer uma avaliação do caminho que vem trilhando e quais escolhas devem ser tomadas para, enfim, ir para o caminho correto.

Creio que usar uma personagem com características e uma vida tão comum foi um grande trunfo. Com exceção dos encontros com a replay, muitos momentos da vida de Thizi poderiam facilmente acontecer com qualquer um de nós. As amizades dela são mais uma afirmação do quanto sua vida é verossímil.

Acho, entretanto, que a replay poderia ser usada mais vezes ao longo da estória e, consequentemente, criar mais situações de conflito com a Thizi. A mudança que seu aparecimento causa na vida da Thizi merecia mais destaque principalmente quando se pensa na explicação que a autora escolhe para o aparecimento da replay.

Gosto da escrita da Tammy e o quando li Sou Toda Errada, meu primeiro livro dela, me surpreendi muito. Estava com grandes expectativas para Garota Replay e acho que para o público a qual se destina, atende perfeitamente.

Sobre o livro:
Garota Replay
Autora: Tammy Luciano
Ano: 2012
Editora: Novo Conceito Jovem   
Páginas: 144
Site da autora: Aqui 

segunda-feira, 9 de abril de 2012

RESENHA: O Espião

Fabiana Araújo

Dorothy Langner não acredita que seu pai Arthur Langner, um talentoso projetista americano de canhões, tivesse tirado a própria vida. Toda a Marinha afirmava que seu pai causou a explosão que o vitimou. Alegavam ainda que Arthur recebia propina e num ato de desespero de consciência resolveu se suicidar.

Dorothy, tentando restaurar o nome de seu pai, procura a famosa Agencia de Detetives Van Dorn a fim de descobrir o que realmente aconteceu e limpar o nome de Arthur. O detetive Isaac Bell, sensibilizado com a estória da moça, parte em busca dos verdadeiros fatos. Logo descobre que se trata de um assassinato que irá envolver outros projetistas importantes.

Ambientado em 1908, antecedendo a Primeira Grande Guerra, ‘O espião’ possui todos os ingredientes para uma grande estória: assassinato, espionagem, gângsters, países em corrida bélica e personagens cativantes. Especialmente Isaac Bell , alem de uma figura cativante é alto,loiro, dotado de uma inteligência absurda e traja um terno branco com chapéu combinando. (Engraçado que quando imagino espiões, sempre visualizo as roupas em tons escuros. Bom, acho que preciso parar de ver James Bond não é mesmo? Rsrs)

Infelizmente, essa mistura não conseguiu me cativar. Os autores pecaram muito no excesso de descrições o que torna a leitura, alem de uma pouco confusa, muito cansativa. A maioria das informações são dados técnicos excessivos, como por exemplo, as descrições extremamente detalhistas das ruas, barcos e canhões.

A ausência de ‘sensações’ também me incomodaram bastante. Como quando um menino perdeu um olho e não gritou. Voltou pelo mesmo caminho que veio com o olho na mão! Sério mesmo? Nunca perdi um olho, mas é fato que isso deve doer muito. Se entra um cisco no meu olho já dou um escândalo imagina perder um olho? O.O

Isso sem contar o fato de que alguns personagens essenciais ao longo da narrativa perdem o brilho e ao final da estória o leitor não sabe o que aconteceu com eles e que rumo tomaram. O fato de a  identidade do espião ser revelada na metade do livro também não contribuiu em nada na melhora do enredo.

O ponto favorável do livro é a critica que faz a sociedade da época, onde o certo e o errado era julgado pelo ponto de vista político em questão: posso espionar, passar informações e barrar o avanço tecnológico desde que o meu país seja o privilegiado.

Se o leitor gosta de uma estória bem descritiva e extensa ‘O espião’ é uma ótima dica.

“Não sigo as regras dos espiões. Sou um detetive particular.
-Um detetive? –Abbington-Westlake repetiu desdenhosamente.
-Temos nossas próprias regras. Laçamos criminosos e os entregamos à policia.
-Mas que diabos vo...
-Em raras ocasiões, concedemos uma trégua aos criminosos; porém só quando eles nos ajudam a laçar criminosos muito, mas muito, piores do que eles. Às 18 em ponto. E não se esqueça de me trazer um presentinho."

É interessante observar que ‘ O espião’ é o terceiro livro da série Isaac Bell. Infelizmente os outros ainda não foram lançados no Brasil. Sequencia correta da série:

1- The Chase (2007)
2- The Wrecker (2009)
3- The Spy (2010) – ‘O espião’ lançado no Brasil em 2012
4- The Race (2011)
5- The Thief (2012)

Book trailer do livro:




Sobre o livro:

Titulo: O espião
Autor: Clive Cussler e Justin Scott
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 416

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Sorteio: Páscoa com os #BlogueirosPE





Oi gente! A Fábrica Diversão e Arte em parceria com mais seis blogs pernambucanos (Arte Around The World, Capa & Título, Garotas e Livros, Livretando, Palavras Prolíferas e Restaurante da Mente) está realizando uma promoção de Páscoa onde 7 livros serão sorteados:

» Água para Elefantes, Sara Gruen
» A Jornada, Erin E. Moulton
» Drácula, Bram Stoker
» Felicidade Clandestina, Clarice Lispector
» Kit Beijada por um anjo 4, Elizabeth Chandler
» Kit O preço de uma lição, Federico Devito e Rogério Mendonça
» Qual Seu Número?, Karyn Bosnak

Duas pessoas serão premiadas: a primeira terá direito a escolher 4 livros da lista e a segunda ficará com os três restantes. Para participar é obrigatório ter endereço de entrega no Brasil e seguir os blogs no facebook. Agora é só apertar os botões e torcer!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

RESENHA: A Caminho do Verão

Monique Melo

Auden sempre foi uma filha exemplar: estudiosa e sempre responsável, seguia a risca as orientações da mãe, mesmo que, no fundo, ela nunca entendesse realmente o que a filha queria. Seu pai não a trata muito diferente da mãe e logo cedo Auden precisou se portar como uma adulta, perdendo assim, grande parte das experiências que uma garota da idade dela vivência. Em seu último verão antes da faculdade, decide passar um tempo com o pai na pequena cidade de Colby. Além de conhecer sua recém-nascida irmã, Auden começa trabalhar na loja da madrasta, mas sempre sem se envolver de verdade com ninguém, até que conhece Eli que aparenta ser tão solitário e fechado quanto a própria Auden. Conforme vão se aproximando, Eli e Auden desenvolvem uma forte ligação, enquanto tentam superar seus problemas pessoais.

Sarah Dessen sempre surpreende. E quando se trata de livros onde o plano principal gira em torno de segundas chances, reconstrução, mudança de rumos, ela é perfeita. E é disso que A Caminho do Verão se trata: de uma garota em busca de uma parte da sua vida que deixou de viver por conta do egoísmo e falta de atenção dos pais, mas sem um histórico real de relacionamentos interpessoais.

“- Perto dos pais, todo mundo é criança. A menos que eles estejam agindo como criança. Então, você não tem a menor chance. Você entende o que estou dizendo?” – Página 260.

Além de uma estória bem elaborada, cativante e fluída, a autora se preocupa muito em desenvolver as situações pelas quais Auden passou (e está passando) e como elas definem suas ações. Até mesmo os envolvimentos românticos dela demonstram a profundidade das consequências da separação dos pais, seu distanciamento e a educação exageradamente feminista que ela teve.

A autora também tem grande cuidado na caracterização dos seus personagens, muito bem construídos e desenvolvidos. Tão bem caracterizados que eu sentia aversão enorme pelo pai e a mãe da Auden e uma grande simpatia por Heidi. Apaixonei-me por Eli e seu jeito misterioso, mas sensível e doce, cheio de comentários simples e sábios. As novas amigas da Auden também contribuem bastante no crescimento dela além de dar um toque cômico a estória.

“– Quem disse que tem que ter um objetivo? Ou um motivo. Talvez seja só algo que você precisa fazer.” – Página 175.

Sarah Dessen já estava na minha lista de autores preferidos desde Just Listen. Agora, sei que nunca vou tirá-la de lá. A autora sabe trabalhar com drama de uma forma esplêndida e ultrapassa, e muito, a impressão que o livro se trata simplesmente de um amor de verão. Recomendo a leitura e fico aguardando mais um livro sensível e apaixonante dessa ótima escritora.

Sobre o livro:

A Caminho do Verão

Autora: Sarah Dessen

Ano: 2011

Editora: ID

Páginas: 416

Site da autora: http://sarahdessen.com/