segunda-feira, 30 de junho de 2014

RESENHA: Sem você não é verão (Verão #2)

No ano passado, todos os sonhos de Belly se tornaram realidade e o pensamento de um verão sem a praia de Cousins ​​era inconcebível. Mas, como a ascensão e queda da maré do oceano, as coisas podem mudar - desse mesmo jeito. De repente, o tempo que ela sempre esperava é o que ela mais teme agora. E quando Jeremiah liga para dizer que Conrad desapareceu, Belly deve decidir como ela vai passar este verão: perseguindo o rapaz que ela ama, ou, finalmente, deixá-lo ir.

No segundo livro da trilogia "Verão" o que mais chama a atenção é como os personagens estão lidando com a perda de uma pessoa especial. Cada um de sua forma tenta superar a dor e continuar, mas para alguns isso é mais difícil do que para outros. Jenny Han desenvolve este volume tendo essa difícil fase como base e temos várias facetas da dor que todos estão passando.

Dessa vez o Jeremiah também participa narrando alguns capítulos e eu gostei demais de ter sua visão sobre o que estava acontecendo. Ele se importa muito com o irmão e, por mais que ame a Belly, ele parece ter consciência que tem poucas chances e tenta não ficar entre os dois na maior parte do tempo.

Conrad me deixou com raiva quase o livro todo e só algumas das suas atitudes faziam sentido no primeiro momento. Como ele é um personagem mais quieto, contido e que quase nunca expõe o que sente, é o que temos mais dificuldade de entender as atitudes. E é também um dos motivos que me faz torcer pelo Jeremiah. A Belly amadurece um pouco em relação ao primeiro livro, mas ainda é muito nova e erra muitas vezes por se doar demais as situações, o que acho ótimo, pois mostra realmente como é atravessar essa fase da vida e como alguns acontecimentos podem complicar tudo ainda mais.

Como falei na resenha de "O verão que mudou a minha vida", a escrita da Jenny Han é ótima e ela tem uma sensibilidade incrível para escrever as emoções dos personagens. Sofri com algumas cenas e fiquei realmente triste com diversas passagens, pois era isso que a autora gostaria de passar e realmente fez muito bem. Ela também nos deixa curiosos para saber o futuro dos personagens e ler "Sempre teremos o verão" vira praticamente obrigação. Eu já li e logo volto para contar para vocês o que achei.

Sobre o livro:
ISBN: 9788501094933
Série: Verão
Volume: 02
Autora: Jenny Han
Editora: Galera Record
Ano: 2013
Páginas: 304

sexta-feira, 27 de junho de 2014

SOPA PRIMORDIAL: Sopa de livros #6 e #7 e Sopa de séries #4


SOPA PRIMORDIAL

Ingredientes:

3 xícaras de LIVRO
1 MANGÁ
3 HQs
1 MÚSICA
2 colheres de chá de SÉRIES
3 colheres de chá de FILMES
1 colher de sopa de GAMES




Olá, pessoal!

Tem um tempo que não posto vídeo do Sopa né? Bem, o blog está meio parado também, por alguns probleminhas pessoais, mas está voltando ao normal. Para deixar as postagens do Sopa em dia, vou postar os últimos vídeos que nós fizemos.

Visite o site do Sopa Primordial.

Curta nossa página no Facebook

Nos siga no Gplus 

Inscreva-se no canal no YouTube 

Nos siga no Twitter










Até o próximo vídeo!

Beijos!

Monique

quarta-feira, 18 de junho de 2014

RESENHA: Silo (Livro 1)

O que você faria se o mundo lá fora fosse fatal, se o ar que respira pudesse matá-lo? E se vivesse confinado em um lugar em que cada nascimento precisa ser precedido por uma morte, e uma escolha errada pode significar o fim de toda a humanidade?Essa é a história de Juliette. Esse é o mundo do Silo.Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras.Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo.Um crime cuja punição é simples e mortal.Elas são levadas para o lado de fora.Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.

O autor não se preocupa com o tempo que leva para expor seu enredo, desde que ele seja bem trabalho e atinja seu objetivo. O começo é um pouco confuso, acompanhamos capítulos que alternam entre presente e passado e me senti surpresa com uma coisa que aconteceu, mas que deu o tom certo de como seria o livro.

Hugh Howey nos apresenta o Silo aos poucos e de uma forma que eu fiquei visualizando como o espaço seria e seu esquema de organização: os seus andares, a separação dos serviços necessários, como hospital, refeitório, delegacias. A forma que eles profissionalizam os habitantes, como aprendizes, chamados aqui de "sombras" também me chamou a atenção.

O livro envolve muita política e regras, o que é normal quando se trata de uma distopia. Interesses políticos estão presentes em quase todas as atitudes de vários personagens e um entre eles parece guardar o mais terrível segredo do Silo. Esse personagem me deu muita raiva, confesso. Afinal, imagina manipular tudo que acontece dentro de um lugar com mais de cem andares, desde o material empregado em determinadas tarefas ao sistema de comunicação.

Os personagens são bem trabalhados também e Juliette é meu tipo de personagem favorita: muito inteligente, sem medo de expor o que pensa, forte sem ser insensível. Jahns e Marnes também me agradaram imensamente, entre outros que não vou comentar para não deixar a resenha mais gigante do que está. Pena que muitos dos meus personagens favoritos não vivem o suficiente para que eu me apaixone mais.

 Um ponto que gostei bastante foi a narrativa. O autor não elege somente um personagem pelo qual vamos acompanhar as descobertas dos segredos e mentiras do Silo, mas sim vários. Acompanhamos em sua maioria, o ponto de vista da Juliette, mas temos também, Lukas, Knox, Jahns, entres outros, e isso deixou a leitura muito mais dinâmica e interessante.

Todo o livro passa muita adrenalina para o leitor, mas tenho que destacar as últimas cem paginas. Eu surtei muito com os acontecimentos e ficava agoniada em algumas partes, porque tudo parecia que ia dar errado. E algumas coisas realmente deram! Reviravoltas não vão faltar, podem ter certeza.

Apesar de ser o primeiro de uma série, o autor fecha a história que propôs neste volume. Obviamente, algumas coisas ficam pendentes e deixa aquela curiosidade pelo próximo. E espero que ele seja publicado logo. Leiam!


Sobre o livro:
Silo (Wool)
ISBN:  9788580574739
Série: Silo
Volume:01
Autor: Hugh Howey
Editora: Instrinseca
Ano: 2014
Páginas: 512
Site: Aqui


segunda-feira, 16 de junho de 2014

RESENHA: Fragmenta-me (Estilhaça-me #2.5)

“Neste eletrizante conto da trilogia Estilhaça-me, descubra o que aconteceu com os rebeldes do Ponto Ômega após lutarem contra o Reestabelecimento. Fragmenta-me é contado do ponto de vista de Adam, respondendo as principais dúvidas dos leitores após grande final de Liberta-me. Enquanto o Ponto Ômega prepara para lançar um ataque-surpresa contra os soldados do Reestabelecimento a postos no Setor 45, o foco de Adam está bem longe do campo de batalha. Ele está se recuperando do rompimento com Juliette, apavorado pela vida do seu melhor amigo e preocupado como sempre com a segurança do seu irmão James. E justo quando Adam começa a pensar se aquela vida é mesmo para ele, o alarme soa. É hora de começar a guerra. No campo de batalha, é como se tudo estivesse a seu favor – mas derrubar Warner, não é fácil. O Reestabelecimento não tolera rebeliões, e por isso fará qualquer coisa para massacrar a resistência... inclusive matar a todos que são importantes para Adam. Fragmenta-me prepara o leitor para as emoções de Incendeia-me, o explosivo final da série distópica de Tahereh Mafi.”

Estava aqui pensando em como escrever essa resenha já que a sinopse aí de cima já retrata bem o conto em si. Então, o que me restou foi tentar colocar em palavras a minha frustração com esse conto. Não, a estória não é ruim. Tahereh Mafi ainda tem o dom de envolver o leitor em sua narrativa sem cansá-lo ou entediá-lo. A minha decepção se resume exclusivamente ao fato da autora não ter abordado melhor a estória de Adam como ela fez com a de Warner em seu conto. Tudo bem, posso estar sendo um tantinho (muito) exigente ou ter ido com muita sede ao pode mas por favor? O que ela abordou sobre o passado de Adam? Eu estava esperando uma estória mais no estilo de abordagem de ‘Destrua-me’ (resenha aqui). Aquele conto deu um nó na minha cabeça com relação ao personagem que eu achava conhecer! Gostei muito da oportunidade que a autora nos deu de conhecer um outro lado do Warner, suas dúvidas, seu modo de pensar e os motivos de agir como age. O que não aconteceu no conto do Adam que acabou deixando muito a desejar :(

Na minha humilde opinião a autora poderia ter recheado o conto do Adam com pontos  mais impactantes e reveladores. Fatos ela tinha, não entendo qual a lógica em  não usá-los. Não me entendam mal, adoro a autora e a trilogia, mas  realmente fiquei um pouco chateada. Adam é um personagem tão bacana, a meu ver merecia mais destaque. Ainda mais depois da bomba que a autora nos jogou em Liberta-me. Mafi mal mencionou tal fato na narrativa. OI!!! Isso me deixou muito pau da vida. Chateada-barra-frustrada-ao-quadrado 

Mas tentando deixar aos pontos negativos de lado não posso deixar de mencionar a relação de Adam com seu irmão James. Essa sim pode ser considerada algo a somar na trilogia embora não seja considerada novidade. ‘Fragmenta-me’ veio para reafirmar com clareza o quanto Adam esta disposto a se sacrificar pela família que lhe restou, de quanto esta empenhado a lutar pela segurança do irmãozinho.

Enfim, o jeito é esperar pelo lançamento de Incendeia-me para sanar nossas dúvidas e nossa imensa curiosidade HAHAHA. Ansiosa!

A Editora Novo Conceito disponibilizou o conto para download e você pode baixa-lo aqui

Sobre o ebook:
Fragmenta-me
ISBN:  9788581635002
Série: Estilhaça-me
Volume: 2.5
Autora: Tahered Mafi
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 70

Sobre a Trilogia:
2- Liberta-me
2.5- Fragmenta-me 
3-Incendeia-me

sexta-feira, 13 de junho de 2014

RESENHA: Colin Fischer

Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…

Eu achei o livro muito legal. Não foi nada do outro mundo, mas o personagem principal tem seu carisma. Eu simplesmente adorei o Colin e me diverti um bocado com sua forma de pensar. Sua família também tem um bom destaque e eu gostei especialmente do pai dele, além de viver uma relação de amor e ódio com o irmão mais novo dele.

Um dos fatores que me agradaram mais foi a forma leve que os autores falam sobre as diferenças do Colin e como eles descrevem as pessoas com quem ele convive e como elas ajudam e/ou atrapalham sua vida. Inicialmente, Melissa é a única pessoa da escola que parece saber lidar com o jeito do Colin. Eu curti bastante a personagem porque, mesmo sendo popular, não se incomodava em ser próxima a ele. Também tive raiva de alguns personagens por implicarem tanto com uma pessoa que não incomodava ninguém.

A parte que seria o mistério do livro, serve mais para mostrar a forma de pensar do Colin e demonstrar como ele é, mesmo com suas limitações, brilhante. Também é base para desenvolver uma amizade pouco provável, mas que funcionou bem para o enredo.

Os autores não se aprofundam muito sobre a condição do Colin e acho que isso se deve mais ao público alvo e, levando em conta esse aspecto, o livro atendeu minhas expectativas.O livro deixa uma ponta solta para ter continuação e eu não pesquisei para saber se terá, mas gostaria de saber mais do Colin e acompanhar o desfecho da história.

Sobre o livro:
ISBN: 9788581634166
Autor: Ashley Edward Miller e Zack Stentz
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 176

terça-feira, 3 de junho de 2014

RESENHA: Insurgente (Divergente #2)

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.

Reviravoltas não faltaram neste livro. Sempre tinha alguma surpresa, ou empecilho que fazia tudo mudar. A maioria eu achei bem colocada, algumas nem tanto. Impliquei com a facilidade que se entrava e saia das sedes das facções, principalmente na da Erudição e achei isso descabido.

Os personagens também tem sua cota de mudanças. Foi uma das coisas que mais em deixaram surpresa: quem antes era inimigo, se tornar companheiro. E o contrário também aconteceu e com personagens que eu nunca imaginei. Para mim foi uma grande sacada e tirava o foco das briguinhas irritantes entre o Quatro e a Tris, embora fossem resolvidas logo. Eles tem problemas em confiar uns nos outros.

Contudo, é um livro que tem mais carga política que Divergente. Enquanto no primeiro volume da trilogia estamos nos habituando as informações e acompanhando a Tris em sua jornada na nova facção, aqui vemos como algumas facções tentam se manter nulas em relação ao levante promovido pela Erudição e a resistência formada por membros da Abnegação e Audácia. Esse foco é sempre o que mais me atrai nas distopias.

A narrativa da Veronica Roth é muito boa e tem consistência. Ela conduz bem sua história e não tem pressa em desenvolver os elementos principais. O final do livro foi daqueles que ansiamos pelo próximo, porque tem muita coisa que precisa ser explicada e você vai querer saber sempre mais. Ainda bem que já tenho Convergente me esperando.

Sobre o livro:
ISBN: 9788579801556
Série: Divergente
Volume: 02
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Ano: 2013
Páginas: 509

domingo, 1 de junho de 2014

SORTEIO/ RESULTADO: Quando tudo volta



Olá!


O sorteio deste mês será o livro de "Quando tudo volta". Para participar é necessário curtir a página da Fábrica no facebook e comentar na resenha (comentários com conteúdo, nada de "adorei a resenha", "vou ler"...). Para chances extras, é só seguir as informações do formulário.
  a Rafflecopter giveaway

O sorteio começa hoje e vai até o dia 30 de Junho. Confira abaixo resultado do sorteio do kit "Refém da obsessão".

a Rafflecopter giveaway


Parabéns, Vanessa! Te enviamos um email e você tem 72 horas para responder, caso contrário, um novo sorteio será realizado.

Obrigada a todos que participaram!

Dúvidas é só deixar nos comentários.

Boa sorte!