quarta-feira, 18 de junho de 2014

RESENHA: Silo (Livro 1)

O que você faria se o mundo lá fora fosse fatal, se o ar que respira pudesse matá-lo? E se vivesse confinado em um lugar em que cada nascimento precisa ser precedido por uma morte, e uma escolha errada pode significar o fim de toda a humanidade?Essa é a história de Juliette. Esse é o mundo do Silo.Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras.Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo.Um crime cuja punição é simples e mortal.Elas são levadas para o lado de fora.Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.

O autor não se preocupa com o tempo que leva para expor seu enredo, desde que ele seja bem trabalho e atinja seu objetivo. O começo é um pouco confuso, acompanhamos capítulos que alternam entre presente e passado e me senti surpresa com uma coisa que aconteceu, mas que deu o tom certo de como seria o livro.

Hugh Howey nos apresenta o Silo aos poucos e de uma forma que eu fiquei visualizando como o espaço seria e seu esquema de organização: os seus andares, a separação dos serviços necessários, como hospital, refeitório, delegacias. A forma que eles profissionalizam os habitantes, como aprendizes, chamados aqui de "sombras" também me chamou a atenção.

O livro envolve muita política e regras, o que é normal quando se trata de uma distopia. Interesses políticos estão presentes em quase todas as atitudes de vários personagens e um entre eles parece guardar o mais terrível segredo do Silo. Esse personagem me deu muita raiva, confesso. Afinal, imagina manipular tudo que acontece dentro de um lugar com mais de cem andares, desde o material empregado em determinadas tarefas ao sistema de comunicação.

Os personagens são bem trabalhados também e Juliette é meu tipo de personagem favorita: muito inteligente, sem medo de expor o que pensa, forte sem ser insensível. Jahns e Marnes também me agradaram imensamente, entre outros que não vou comentar para não deixar a resenha mais gigante do que está. Pena que muitos dos meus personagens favoritos não vivem o suficiente para que eu me apaixone mais.

 Um ponto que gostei bastante foi a narrativa. O autor não elege somente um personagem pelo qual vamos acompanhar as descobertas dos segredos e mentiras do Silo, mas sim vários. Acompanhamos em sua maioria, o ponto de vista da Juliette, mas temos também, Lukas, Knox, Jahns, entres outros, e isso deixou a leitura muito mais dinâmica e interessante.

Todo o livro passa muita adrenalina para o leitor, mas tenho que destacar as últimas cem paginas. Eu surtei muito com os acontecimentos e ficava agoniada em algumas partes, porque tudo parecia que ia dar errado. E algumas coisas realmente deram! Reviravoltas não vão faltar, podem ter certeza.

Apesar de ser o primeiro de uma série, o autor fecha a história que propôs neste volume. Obviamente, algumas coisas ficam pendentes e deixa aquela curiosidade pelo próximo. E espero que ele seja publicado logo. Leiam!


Sobre o livro:
Silo (Wool)
ISBN:  9788580574739
Série: Silo
Volume:01
Autor: Hugh Howey
Editora: Instrinseca
Ano: 2014
Páginas: 512
Site: Aqui


6 comentários:

  1. Wow, parece muito bom! A questão da narrativa me lembrou muito o da série A Passagem, que o autor se preocupa em contar sua história ambientando o leitor no aspecto de próprio ambiente quanto nas motivações dos personagens. Fiquei curioso para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  2. Ai quem fica curiosa sou eu! Deixa adiantar algumas das minhas leituras que tiro a poeira de A passagem e leio. ;)

    ResponderExcluir
  3. Adorei a história. Já imaginava que fosse emocionante e cheia de segredos. Estou curiosa e vou experimentar ler também. Realmente lembra um pouco A passagem. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa, confesso.
    Mais um para a lista de futuras leituras.

    ResponderExcluir
  5. Eu já queira ler este livro desde que a Editora Intrinseca fez sua turnê e o apresentou. è certo que adoro romances, mas como você sabe eu gosto muito de distopias e esta, pela sua resenha, é muito impolgante e tensa.!!!! Tenho um amigo que o leu e não conseguiu até terminar a última página, ele disse que ia definir o livro numa única palavra: TENSÃO!!!
    Louca pra ler e adorei a resenha.
    Bjos!!!
    Dany

    ResponderExcluir
  6. Leia, Dany! Você vai adorar!

    ResponderExcluir