sábado, 29 de janeiro de 2011

Resultado Promo Diários do Vampiro!


Aeee... sorteio feito.

Quem ganhou foi o comentário 2 ou seja... o Joe Silva.

O sorteio foi feito entre 17 comentários (porque 1 era o do Guilherme que naõ está valendo e o outro era da fábrica explicando sobre as regras dos comentários).

Aqui está o print do sorteio feito pelo Random.org


Joe, você tem até 2ª feira, dia 31/01 para entrar em contato conosco pelo e-mail afabricada@gmail.com e enviar seus dados (nome e endereço completo) para que possamos enviar seu prêmio. Parabéns!!!


E continuem ligados porque em breve termos mais um sorteio... Kit Charlie St. Claud da editora Novo Conceito. Se ainda não conhece, pode ir acessando o site: http://www.charliestcloud.com.br/


domingo, 23 de janeiro de 2011

Diários do Vampiro - Livros x Seriado + promoção!


*SPOILLER ALERT*
Se você não leu todos os livros ou acompanha o seriado... cuidado!



The Vampire Diaries - tanto o livro quanto o seriado - possui um enredo capaz de prender quem se deixa envolver. As diferenças entre os livros de L.J. Smith (publicados no Brasil pela editora Galera Record) e o seriado produzido por Kevin Williamson e Julie Plec (exibido no Brasil pela Warner
) são gritantes. Começa superficialmente - com uma Elena morena de olhos castanhos ao invés de loura dos olhos azuis; uma Bonnie negra ao invés de ruiva e de pele translúcida; um Damon com olhos azuis ao in
vés de negros e por aí vai - e de repente, são histórias extremamente diferentes, com apenas alguns elementos em comum. A irmã de Elena, Margareth, que tinha quatro anos no livro, no seriado se transformou em um adolescente drogado, com uma forte tendência a se apaixonar por garotas bonitas que morrem antes que o relacionamento fique muito sério. Elena ir para a cama com Stefan no seriado foi um tanto impactante para os fãs do livro; no livro, os dois são tão abstinentes quanto a Sandy alegava ser, mas com bastante troca de sangue - e amassos, sim, mas sexo? Bem...
Mas tanto no livro quanto no seriado, temos personagens carismáticos e profundos (parafraseando Bonnie em "A Fúria," "ninguém é o que parece ser," e esses personagens bem que ilustram isso. Todos são bem mais do que parecem). Se o leitor/espectador for atento, notará que eles possuem várias facetas, assim como nós, pessoas reais. Isso anda em falta por aí - temos livros que se prendem a conceitos rudimentares como, por exemplo, o bem e o mal, onde o personagem bonzinho é praticamente um anjo, e vice-e-versa. Aliás, também temos filmes, novelas e seriados assim. Como se fosse sequer parecido com a realidade...
Nos livros, acompanhamos Elena, Bonnie, Meredith (que no seriado não existe), Matt e Ste
fan na pacífica e fictícia cidadezinha de Fell's Church. Começamos sabendo que esse último é um vampiro - sem que os demais personagens saibam - e vemos como Elena se decide que o terá para si. Assim começa a história de amor deles.
Maaas... uma história de amor não está completa sem um triângulo amoroso (e às vezes, a figura geométrica ainda tem mais vértices), e assim conhecemos Damon Salvatore, o irmão de Stefan. Começam a acontecer mortes na cidade, o que não era exatamente inesperado. Com dois vampiros na cidade - um "vegetariano", o outro não - fatalidades acontecem.
Entretanto, descobrimos que Katherine - a garota que transformou Stefan e Damon em vampiros, meio milênio antes, que queria os dois, e por acaso era correspondida pelos dois, e, ainda por cima, é meio que parecida demais com Elena - não estava morta, como esperávamos que estivesse. No dia em que os dois se transformaram, ela forjou a própria morte, esperando que isso acabasse com a rivalidade dos irmãos Salvatore. Ela estava viva e bem poderosa - e o preço disso era pago por Fell's Church - e ela queria vingança contra Damon e Stefan.
Ela é vencida, mas o preço disso é a vida de Elena. Stefan e Damon voltam ao seu país nat
al, a Itália, e os adolescentes humanos são largados sozinhos na cidade. Mas quando uma amiga deles morre brutalmente, Bonnie faz um feitiço que chama os vampiros de volta.
O criador de Katherine, Klaus - um dos Originais (os primeiros vampiros a existir) - surge na cidade. Com um lobisomem que, na verdade, crescera junto com os humanos. Seu Poder é inimaginável, mas com a ajuda de um verdadeiro exército desencarnado comandado pelo espírito de Elena, evocado por Bonnie no solstício de inverno, o vampiro é vencido, e com uma explosão de Poder, Elena volta à vida.
No seriado, Damon é sarcástico como nos livros, mas convive com Stefan e os demais.
Katherine também não estava morta no seriado, mas Damon sabia disso - e conta para o irmão, de modo que a chegada de Katherine se torna algo esperado, temido e desejado.
Passamos por momentos tensos no seriado, que não existem no livro, como, por exemplo, quando vampiros aprisionados sob a cidade por mais de um século são libertados, com toda a sua sede por sangue. Ainda bem; a narrativa de L.J. Smith é clara e detalhista. Certamente seria algo... único de se ler.
Quando enfim conhecemos Katherine, descobrimos que ela é sarcástica, cínica, e extremamente fria, capaz de matar em um piscar de olhos. Mas ao passo que a Katherine dos livros é impulsiva e age de uma forma até um pouco infantil, a do seriado é calculista, perspicaz e muito inteligente. E, no fundo, a maioria dos telespectadores gosta dela. É como diria uma sábia amiga minha: "os malvadinhos são os mais interessantes". É, isso explica muita coisa.
A história do seriado ainda está muito longe do final, e Klaus - o poderoso e maquiavélico vampiro que fará Katherine parecer aquela menina sinistra da escola, que dá (ou dava, se você já saiu dessa) medo mas é quase inofensiva - está por aparecer.
Nunca me decepecionei com nennhum dos dois, e não acho que isso vá mudar agora. Junte-se a esse mundo estranho - cheio de presas, garras e uma bela dose de romance - e se permita envolver por uma história criticada, copiada e atacada, mas que se mantém firme, forte e significativa até hoje, quase vinte anos após o seu lançamento...

Fato curioso: A primeira parte da série literária originalmente só teria três livros, e o fim de A Fúria era o que L.J. Smith tinha planejado que fosse o fim para tudo. Entretanto, o apelo dos fãs foi tão grande que ela escreveu Reunião Sombria.

-----

Essa resenha foi feita pelo Guilherme Magalhães, nosso "guia praticamente ilustrado" de Vampire Diaries, amigo, staff e tudo mais!
www.twitter.com/guilhermetsst
Tradutor/Newsposter - Vampire Diaries BR
Autor/Administrador/Leitor/"Formspringer"- The Vampire Diaries - Fanfics
Tradutor colaborador - Tarja Brasil
Tradutor/Administrador/Newsposter - Sussurro Brasil


PROMOÇÃO

Vamos sortear dia 29/01 pelo Random.org um exemplar de "O Despertar" + kit surpresa, entre os comentários nesse post. Os posts serão numerados em ordem crescente.
Só valerão os comentários que estiverem falando sobre esse post, comentários aleatórios (sobre outros assuntos) serão deletados antes do sorteio para naõ haver confusão. O sorteio somente será feito se houver pelo menos 10 comentários de pessoas diferentes.

Participe!!!

Siga a Fábrica no twitter , no Facebook e assine o rss do blog para ficar sabendo de todas as promoções, resenhas, eventos e novidades!!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

RESENHA: Feios

Ficha Técnica:

Título: Feios
Autor:
Scott Westerfeld
Temática: Ficção Científica
Categoria: Literatura Young Adults
Número de Páginas: 416 páginas
Ano de Lançamento: 2010
Editora: Record - Selo Galera (link AQUI)
Página Oficial da Série AQUI

“Em um mundo de extrema perfeição, o normal é feio.”

Por Sel Moreira

Imagine um mundo onde não haja ditadura da beleza e onde ninguém precisa se matar em dietas mirabolantes e exercícios alucinados para ter a aparência de uma estrela de hollywood – “estrela de onde?”, os personagens diriam.

Imagine nunca ser comparado a um espécime mais abençoado esteticamente que você porque comparações não são possíveis: ser feio é meramente uma fase passageira, a perfeição estética é um direito de todos e uma questão de tempo.

Esse é o princípio norteador da série de ficção científica “Feios” de Scott Westerfeld. Ambientado num mundo que há muito não é mais esse que conhecemos – mas já foi, um dia – todas as pessoas moradoras de “Vila Feia”, com seus traços assimétricos, pequenas imperfeições, movimentos desajeitados aguardam seu momento de passar pela cirurgia que os fará perfeitas ao completarem 16 anos.

Olhos grandes, nariz simétrico, boca carnuda, corpo irrepreensível, sem cicatrizes, sem dores, sem doenças. Meramente observar os rostos de feições infantis dos perfeitos cativa, inspira cuidados, causa estupefação e o desejo súbito de realizar todas as suas vontades. Em Vila Feia – localidade em que os jovens ficam à espera do dia de sua transformação – todos os moradores, sem exceção, irão também passar por isso. Tally Youngblood, nossa jovem protagonista, mal pode esperar pela sua vez.

Desde a trilogia cinematográfica de Matrix eu confesso, não tinha contato com algo de ficção que realmente me prendesse a atenção. Por isso, demorei um pouco para “pegar ritmo na história” e realmente embarcar nas desventuras da senhorita Youngblood e seus amigos – inimigos assutadores.

Apesar de, e por se passar num mundo perfeito pós-apocalíptico (parece paradoxal, mas não é) Feios é uma fábula atual, repleta de questões muitíssimo pertinentes ao nosso tempo e contada com linguagem acessível e condizente com a era da informação.

Ao mesmo tempo, recorre a pontuações atemporais, como o conceito de justiça eleito por uma entidade governamental que se impõe sobre os cidadãos de uma nação monitorando-os em suas necessidades e movimentos numa vigilância 24 horas - e aí, o livro tem algumas semelhanças com o fantástico 1984 de George Orwell (de onde saiu a expressão "O Grande Irmão", ou Big Brother. Mas não o reality show...)

Aventura, romance, amizade, traição, egoísmo e instinto coletivo, tudo misturado com maestria pelo autor que consegue costurar questões emocionais inerentes ao ser humano com temas muitos atuais.

Feios nos faz pensar nas insanidades da sociedade de consumo, na banalização da beleza e da juventude, na nossa ignorância e mal uso de recursos naturais e o que isso pode gerar – fatos dissecados no livro como uma realidade que imprime um fim óbvio e trágico ao nosso modo de vida inconsequente e imediatista.

Se você, como eu, gostou da proposta de Feios, espere para ver a resenha do segundo livro da série, Perfeitos. Não poderia haver nome melhor...

sábado, 8 de janeiro de 2011

RESENHA: Contato Visual

Por: Sel Moreira

Ficha Técnica
Título: Contato Visual
Autor: Cammie Mcgovern,
Temática: Literatura de Ficcção - Suspense
Categoria: Literatura Adulta
Páginas: 306
Editora: Novo Conceito (link AQUI)
Ano de Lançamento: 2010
Adquira seu exemplar AQUI
Página Oficial do livro AQUI

Uma cidade pequena, um crime e uma única testemunha: uma criança autista. É com esse mote que Cammie McGovern desenha seu thriller “Contato Visual”, lançado pela Editora Novo Conceito no ano de 2010.

Eu sempre tive um pouco de dificuldade com livros mais voltados para o suspense e trama policial. Por esta razão, custou algum tempo até pegar fluidez na história e ler do jeito compulsivo que sempre faço.

Mas superada essa dificuldade que é puramente minha, a leitura deslanchou, mesmo porque o estilo narrativo do livro é bastante acessível. A temática é apropriada para adultos ou jovens adultos que se interessam por uma leitura delicada, consistente e intrigante, mas sem muitas situações mirabolantes.

Cammie narra – com a sensibilidade apurada de uma mãe “da vida real” de uma criança autista – a experiência de Cara, uma mulher jovem que bancou o desafio de criar sozinha uma criança portadora de necessidades especiais numa cidadezinha nos Estados Unidos.

Feito que ela consegue com êxito relativo, atuando dentro das limitações e principalmente das potencialidades e possibilidades que o pequeno Adam demonstra na convivência diária. Um garoto esperto que em seus melhores dias consegue se expressar com alguma eficiência, tem adoração por música clássica e pelo mecanismo das coisas e que, em dias ruins é mais de silêncios e distância introspectiva. Mas ainda assim, nenhuma dessas situações se mostraram tão desesperadoras quanto o retrocesso que o garoto começa a demonstrar após ter presenciado a morte da coleguinha.

O livro se desenvolve através da tentativa de Cara ajudar a polícia a solucionar esse mistério, já que Adam não tem muito a oferecer pelos meios normais de investigação. E, para uma compreensão mais ampla do plano de fundo em que se fundam as relações de mãe e filho, e destes com outros, somos por vezes transportados à juventude de Cara, onde conhecemos suas vivências, seu modo de perceber a vida e tudo o que fundou suas escolhas.

Ao longo do livro as peças se ajuntam de um modo interessante, e os suspeitos mudam de rosto muitas vezes até que se fixe no verdadeiro culpado. Nesse meio tempo, acompanhamos a jornada de Cara e Adam, o esforço em se comunicar, em se fazer entender a despeito de toda a descrença compassiva da sociedade e limitações que são um fato. Constantemente, partilhamos o sentimento de impotência que a personagem tem diante da situação por si só trágica, e pelo impacto que ela causa em Adam que, a seu modo sofre e luta diante do que não pode – não consegue – exprimir ou definir.

Posso dizer, como pessoa e como psicóloga não praticante (digo, atualmente atuante em clínica =D) que é muito pertinente e atual do ponto de vista do (pouco) que (ainda) hoje se sabe sobre autismo, e o modo de conduzir a trama, extrair o melhor de Adam e as investigações são bastante factíveis – embora em alguns momentos sejam situações de “best case scenarium”.

Mas não é preciso ser um profissional da saúde mental para apreciar a trama, seja sob o aspecto literário, seja sob o aspecto humano.

A trajetória de Cara, Adam e os demais personagens da trama que contribuem para uma perspectiva e pontos de vista diferentes na trama – nenhum deles inútil ou desperdiçado – é uma metáfora sobre a busca de qualquer ser humano por compreender a si mesmo, ao mundo que o circunda e por fim, ser melhor, se superar.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

EDITADO! Resultado Promoção Amigo Noel

Lembrando as regras, vamos lá?

1 - Twitte a frase indicando um amigo para participar da promoção do blog:

"@(twitter do amigo) participe da promoção da @afabrica_da valendo um kit HP - http://kingo.to/oZX"

2 - Acesse o blog e coloque nos comentários do post da promoção: seu nome completo, link de 1 tweet da promoção (depois que tuitar clique em now - embaixo do tweet - e copie o link), e-mail.

3 - Siga o blog publicamente


4 - Siga o twitter da @afabrica_da


Ganhador do KIT do Blog (Um exemplar de "Os contos de Beedle, o Bardo" + marcadores diversos + aviso de porta de HP + móbile de HP):



A vencedora seguiu todos os passos (segue nosso Twitter, segue o blog publicamente). O link do tweet dela foi:

IMPORTANTE: Desconsideramos comentários repetidos, mensagens que não diziam respeito à promoção e pessoas que comentaram depois da data limite. O total de comentários válidos foi 39.

Ganhador do KIT do Twitter: (kit de Percy Jackson com Camisa do Acampamento Meio Sangue + cards + marcadores + botton). Letícia Trindade

A vencedora seguiu todos os passos (segue nosso Twitter, segue o blog publicamente). O link do tweet dela foi:

Imagens das vencedoras:
KIT Harry Potter

Planilha no Google Docs (Nós desconsideramos comentários repetidos, msgs q não diziam respeito à promoção e pessoas q comentaram depois da data limite. Válidos:39.A planilha foi feita no excel contando todos os participantes em ordem de postagem. =)):



ATÉ A PRESENTE DATA NENHUM DOS AMIGOS QUE FORAM INDICADOS PELAS VENCEDORAS PARTICIPARAM DA PROMO.

Mocinhas, vocês têm até dia 05/01/11, às 23:59, para entrar em contato conosco. Mandem um email com od dados completos (Nome completo, endereço) para afabricada@gmail.com ou DM no twiiter. Após este prazo, o resultado é revogado e o sorteio é feito novamente com os que participaram dentro dos prazos e regras iniciais.


UFA!

Deu trabalho, mas foi lindo!

Queremos agradecer demais a todos os participantes! E fiquem de Olho! Temos UM MONTE de prêmios na ponta da agulha para vocês nos proximos dias!

Até!