sexta-feira, 27 de setembro de 2013

RESENHA: Refém da Obsessão ( Trilogia Ladrão de Almas #2 )

Fabiana Araújo

Lanore é uma imortal, nada pode tirar sua vida ou feri-la gravemente, exceto Adair, o homem quem lhe concedeu a vida eterna. Depois de descobrir os planos de Adair para Jonathan, o homem que ela sempre amou, Lanny aprisionou seu mestre em uma parede no sótão de sua antiga casa onde ninguém jamais o encontraria. Até o momento.

“Adair estava livre. O dia que eu tanto temia finalmente chegara. Sempre pensava no que faria quando Adair escapasse da prisão em que eu o trancara. Agora que o dia tinha chegado, não sabia o que fazer, pois não havia nada a ser feito: não havia como impedir o que não podia ser impedido” pág. 31

Depois de passar mais de 200 anos aprisionado e alimentando ódio e vingança por Lanore, Adair deseja sua súdita de volta. Ele quer que ela pague por esses anos de confinamento, por tê-lo traído e desprezado seu amor. Por ter aberto mão de sua vida juntos por Jonathan.


Parece que tem uma década que li ‘Ladrão de Almas’, o primeiro livro da trilogia. Estava bem ansiosa aguardando pela continuação! Embora alguns personagens tenham me feito uma raiva imensa a autora não me decepcionou com o enredo. Alma Katsu conseguiu manter o mesmo ritmo rápido, dinâmico e  envolvente do livro anterior. O leitor se delicia com as cargas de mistério do enredo, as questões relativas a vida eterna  e as várias nuances do que seria amor, lealdade e família. Até onde ser imortal fascinaria o ser humano? E o que uma pessoa seria capaz para ter esse privilegio? Afinal, vida eterna é uma benção ou uma maldição?

Gostei muito dos novos rumos que a autora adicionou à narrativa Claro que Lanore é uma personagem que já perdi a esperança de entender. Sinceramente, não dá. Se passaram 200 anos e ela continua a mesmo pessoa egoísta e insensível de antes. Não mede as consequencias dos seus atos, sempre confia nas pessoas erradas e dispensa as que lhe fazem bem. Só bati palmas pra ela uma vez nesse volume, e não, não vou contar quando e nem o porque dessa proeza ter acontecido pois na certa vai estragar a leitura de vocês. 

O personagem que mais chamou atenção nesse segundo livro foi Adair. Pensei que ele não conseguiria me impressionar mais e no entanto fiquei chocada com sua personalidade, seu passado e me peguei imaginando o que lhe reservava o futuro. Katsu nos leva a uma viagem no tempo para nos contar sobre o passado dele, o que o levou a ser como é. Foi uma experiencia bem interessante, ainda mais sendo narrada por ele.

E quando pensei que não teríamos gancho para um outro livro me deparo com esse final. O que raios a autora esta querendo fazer com a minha cabeça? Porque quando eu acho que finalmente entendi um certo personagem ela me prova que eu não sei de nada, que não cheguei nem perto de entender coisa alguma. Por favor, quando é que vão publicar o outro volume no Brasil? 'The Descent' nem se quer foi lançado pela autora e eu me encontro nessa agitação toda  HAHAHA

Super indico a trilogia para pessoas que adoram um bom suspense sobrenatural, com mistério, vingança, dúvidas existências, os erros e acertos que determinada atitude pode provocar na vida das pessoas e como conviver com os erros e acertos. No entanto não indico para menores de 18 anos por conter cenas violentas envolvendo torturas, sexo e violência.


Booktrailer: 



A trilogia:
2-Refém da Obsessão
3- The Descent (data de lançamento 7 de janeiro de 2014 nos EUA)


Sobre o livro:
Título: Refém da Obsessão
Autor: Alma Katsu
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

RESENHA: O beijo das sombras (Academia de vampiros #1)

Monique Melo

"Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.

Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.
Mas isso é só o começo. Em O beijo das sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?"



Comecei esta série por incentivo de duas amigas, já que elas são fãs da série e sabiam que tenho os três primeiros volumes, mas nunca tinha lido. Então, por livre e espontânea pressão, iniciei "O beijo das sombras". 

Rose é o tipo de protagonista que eu gosto, embora não aprove tanto assim sua impulsividade. Ela tem defeitos e qualidades, acerta e erra como qualquer pessoa e,mesmo com os aspectos sobrenaturais, é uma personagem verossímil. Sua força e sua fidelidade para com sua amizade com Lissa é impressionante. Achei a relação das duas muito legal e descobri que este primeiro livro não foi o suficiente para me fazer entender porque os fãs geralmente não curtem a Lissa. Me disseram que vou compreender conforme a leitura for avançando. Veremos.


O Dimitri é um guardião bem responsável e bonito. O que mais me chamou a atenção nele foi o fato de ser comprometido com suas obrigações, mas, mesmo que não queira, se importa com os outros. Em especial com uma pessoa e sua relação com ela é cheia de compreensão mútua, ao mesmo tempo que não é nada fácil de se lidar. A autora sabe trabalhar muito bem isso.

O Christian é outro que me agrada muito. Eu adorei seu jeito sarcástico, que também serve como escudo, já que não se dá bem com os outros Moroi da realeza porque tem um passado bem complicado e não tem interesse em andar com pessoas as quais o hostilizam. 

Mas o que realmente curti foi conhecer como é organizada a sociedade Moroi. Tem vários aspectos que são abordados nesse livro e focam principalmente no que Rose acha sobre o assunto, suas impressões e como isso afeta seu cotidiano e o da Lissa. Acho que a parte política será ainda mais abordada nos próximos livros.

Gostei da história e dos personagens. Achei que tudo foi apresentado e explicado de forma convincente, mas confesso que não fui fisgada pela empolgação que vejo nas minhas amigas. Entretanto, percebe-se claramente que potencial a história e a autora tem demais e o segundo livro promete ser ótimo. Então, vou continuar com a série e ver o que a Richelle Mead me reserva.

Sobre o livro:
O beijo das sombras
Série: Academia de vampiros
Volume: 01
Autora: Richelle Mead
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2010
Páginas: 320

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

"Hanging out" com o #BlogueirosPE S01E03



Olá, pessoal!

Como vocês podem ver, estamos conseguindo assiduidade em nossos vídeos \o/. E ainda conseguimos ajeitar o problema que estávamos tendo com o canal do #BlogueirosPE do youtube. Agora estamos com todos os vídeos em um único canal, e com duas listas de reprodução, que concentraram nossos dois projetos, o #BlogueirosPE discute, e o "Hanging out" com o #BlogueirosPE.

Então, sem mais delongas, fiquem o vídeo, e se gostarem, cliquem no joinha e não se esqueçam de assinar o canal.

RESULTADO: Beijada por um anjo 6



Olá!

Chegamos ao fim de mais um sorteio! E a sortuda da vez foi:

Parabéns! Você tem 48h para responder ao email que enviamos, caso contrário, outro sorteio será realizado.

Obrigada a todos que participaram e aguardem que no final de semana tem sorteio novo.

Abraços!

sábado, 14 de setembro de 2013

MANGÁ: Fullmetal Alchemist

Monique Melo
"Ainda crianças, Edward e Alphonse Elric perderam sua mãe. Os irmãos, então, decidem usar seus conhecimentos para tentar quebrar o maior tabu da Alquimia: a transmutação humana. Mas a tentativa dá errado. Ed perde seu braço direito e sua perna esquerda. Já Al perde seu corpo por inteiro e só não desaparece de vez por que seu irmão conseguiu fixar sua alma em uma armadura de metal. É a lei máxima da Alquimia, a “Lei da Troca Equivalente”.
Assim começa a saga dos irmãos Elric. Agora usando automails, próteses mecânicas implantadas no lugar dos membros perdidos, Ed parte ao lado de Al em busca da lendária Pedra Filosofal, a qual, reza a lenda, amplia os poderes de um Alquimista.
O objetivo da dupla de irmãos é exatamente usar a Pedra Filosofal para recuperar os seus corpos. Porém, eles não são os únicos interessados no lendário artefato. Os homúnculos, misteriosos seres que parecem seres humanos, também estão atrás da pedra.
Para facilitar a sua busca, Ed entra para o exército e passa a ser conhecido pela alcunha de o Alquimista de Aço. A partir daí os irmãos Elric fazem uma viagem surpreendente, cheia de reviravoltas. Eles ainda cruzam o caminho de Scar, um sujeito de poderes misteriosos que busca se vingar de todos os Alquimistas Federais que encontra pela frente."

Fullmetal Alchemist é daqueles mangás que quando você termina, tem pouco ou quase nada a reclamar. Começa com uma premissa muito boa e que se mantém ao longo dos 54 volumes (aqui no Brasil, no Japão são 27), mas que sofre adições na medida que personagens e situações vão aparecendo.
Edward e Alphonse são os personagens principais da trama e o relacionamento deles é o ponto chave da história. Al admira muito Ed enquanto o irmão mais velho se preocupa muito com ele. Os dois só podem contar um com o outro ou com Pinako e Winry Rockbell, suas vizinhas. Os quatro formam uma família e é assim que eles se consideram e se tratam.
Winry, Alphonse e Edward.
O Edward me divertia da mesma forma que me emocionava. Das risadas que dava de seus ataques cada vez que alguém o chamava de baixinho, às lágrimas por perder um amigo ou por ter algum atrito com o irmão, ele foi amadurecendo durante sua jornada e foi fantástico acompanhá-lo e chegar no último volume tendo orgulho dele. É nele que observamos pesar as questões familiares no que se refere ao pai deles, já que o garoto nunca entendeu porque ele os abandonou e de certa forma o culpa por ter perdido a mãe e as consequências de ter tentado a transmutação humana.
O Alphonse é a parte pura e ingênua dos irmãos. Louco por animais, sempre leva bronca do Ed por escondê-los dentro de sua armadura. Sofre muito por não dormir nem comer na forma que está e sente-se solitário. Tem algumas crises de identidade por conta de sua condição, mas sempre pode contar com a Winry para chamar sua atenção.
A Winry, por sinal, é presença constante no mangá por ser amiga de infância dos garotos e por ser a mecânica responsável pelo automails (próteses de aço) do Ed. Os dois protagonizam várias cenas engraçadas, pois brigam por tudo, mas não vivem sem o outro.
Edward e Alphonse treinando.
Meu personagem preferido, por incrível que pareça não é nenhum dos irmãos Elric. O coronel Roy Mustang é conhecido por ser o Alquimista das Chamas e tem ambições bem específicas dentro do exército e conta com a ajuda de um seleto grupo que vê em seu sonho, uma esperança para o futuro. O que mais me chamou a atenção neste personagem é a vontade de transformar os erros do passado em experiência para mudar todo um país e seu sistema corrupto. Ele vai planejando e executando diversas ações que o deixam mais perto dos seus objetivos e o transforma também em um alvo extremamente valioso. Mas não se enganem: Mustang é um personagem bem engraçado também. O jeito preguiçoso e mulherengo é enfatizado, assim como as eternas brigas entre ele e o Ed.
Roy Mustang e Riza Hawkeye
Riza Hawkeye também é digna de destaque por ser a lógica, sua principal protetora e o braço direito do coronel Mustang. Ao mesmo tempo que era fundamental para seus planos, ela tem uma grande importância pessoal para o Roy (e ele para ela). Assim como o Coronel, também tenta se redimir de seu passado. Pode ser dura quando a situação exige, mas também é muito gentil, principalmente com Edward e Alphonse. Preciso dizer que eu adoro a personagem?
Falmam, Fuery, Hayate (o cachorrinho da Riza),Riza Hawkeye,Roy Mustang, Havoc e Breda
O Mustang é meu personagem preferido, assim como as tramas que giram em torno do exército são as que mais me agradaram. Como comentei antes, toda história está interligada, mas o jogo político de poder nesta parte em especial eram as que mais me deixava animada com a leitura.
Algumas cenas são muito tocantes. Todos os personagens principais tem seus  momentos dramáticos e estes são mostrados em diversas formas: seja no luto e na vingança que Mustang tanto procura, na frustração do Ed por não conseguir dar um corpo ao irmão, na sede de retaliação do Scar.
A autora não coloca nenhum personagem sem ter uma função no enredo. Todos tem sua importância: seja para explicar determinados acontecimentos, reforçar certos momentos ou para ajudar os protagonistas. São tantos bons personagens, como o Maes, Ling, Armstrong, que seria impossível falar de todos os que me agradaram. Não posso deixar de comentar que a autora constrói ótimas personagens femininas de forma impecável. Riza, Winry, Izumi, May, entre outras, são fortes, corajosas e determinadas e são muito importantes no enredo.

Os vilões são inseridos pouco a pouco e foi uma grande sacada da autora utilizá-los para fazer referência aos pecados capitais. A sua origem foi bem descrita e são personagens que tem história própria. Gostava bastante do King Bradley e Ganância.

Também encontramos uma boa ligação entre as cenas de ação, drama e comédia e é um mangá muito fácil de ler e entender, mesmo quando levanta assuntos mais sérios como o poder de Deus.
A arte é bem diferente da que eu estava acostumada a ver (aquela que lê muito shoujo) e achei que combinou com o tipo de enredo que foi apresentado. Na minha humilde opinião, a mangaká Hiromou Arakawa detalhava muito bem, principalmente no que se refere ao automails  e isso valorizou o aspecto steampunk da obra. Outra coisa bem legal de acompanhar são as tirinhas que a autora faz. Ela se retrata como uma vaquinha e era bem engraçado de ver.
Edward e seu automail
O final da série é emocionante. Tornou-se ainda mais legal por não terminar "tudo bem". Não é um final triste, mas um que tem consequências, como qualquer coisa na vida. O desfecho de cada personagem foi bem resolvido e acho que só fiquei ansiosa para saber mais sobre o Mustang.
Capa do último volume brasileiro
O mangá foi lançado aqui no Brasil no formato meio tanko (metade do volume normal) e fez grande sucesso aqui e sempre é lembrado por uma das melhores histórias (eu concordo). Como faz algum tempo que foi publicado, é bem difícil de encontrar para compra, mas fica a indicação do animê Fullmetal Alchemist Brotherwood que é fiel ao mangá e vai ser uma ótima forma de conhecer o trabalho da Hiromu Arakawa.

Sobre o mangá:

Fullmetal Alchemist
Série: 54 volumes (finalizado no Japão e no Brasil)
Arte e roteiro: Hiromu Arakawa
Editora brasileira: JBC
Páginas de cada volume: aproximadamente 100
Formato: 11,4cm x 17,7cm



quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Lemos na Fábrica: Agosto 2013




Oi pessoal. Hoje estamos trazendo uma coluna nova no blog, a "Lemos na Fábrica". Como o nome diz, vamos comentar rapidamente sobre o que lemos no mês anterior. Alguns dos livros já tem resenha no blog, outros provavelmente terão resenhas postadas este mês, com exceção dos mangás que só terão resenha quando terminar sua publicação.

Fabiana Araújo: Não consegui ler muita coisa esse mês, ressaca literária dos infernos, mas no total foram cinco livros \o/

O primeiro livro que li foi ‘Paperboy’ do Pete Dexter. Embora não faça muito o meu estilo de leitura gostei do livro. O livro tem um começo meio estranho, mas o autor consegue envolver o leitor ate o final. Resenha aqui.

Minha segunda leitura foi ‘Beijada por um Anjo 6 – Eternamente’ da Elizabeth Chandler. Final da minha queridinha série Beijada por um Anjo #mimimi.  Já temos resenha dele aqui no blog pra quem quiser dar uma conferida sobre as minhas impressões. E tá rolando sorteio do livro aqui  também heim? Então corre pra participar que ainda dá tempo \o/ Link aqui.




 E finalizando as leituras do mês li os três primeiros volumes da série ‘Percy Jackson e os Olimpianos’: Ladrão de Raios, Mar de Monstros, Maldição do Titã. Estou lendo com a minha sobrinha num tipo de clubinho literário sabe? Adorando comentar com ela. Pra quem gosta de mitologia grega e todo o mundo misterioso e mágico que o cerca super recomendo a série. Em agosto foi isso. Super beijo.




Monique Melo: Para meus padrões de leitura (leio cerca de um livro por semana), esse mês foi bem proveitoso. Li seis livros e 12 mangás.




Coisas que ninguém sabe - mais uma vez a forma poética que o Alessandro escreve me encantou e gostei muito de encontrar novos personagens e uma história mais densa do que Branca como leite, vermelha como sangue.









Will & Will - livro muito bom, mas com alguns elementos que me incomodaram. Nada que atrapalhe a leitura.




A Elite - A seleção #2 - América, para de indecisão! Tão bom quanto o primeiro, exceto pela rápida passagem da América pelo universo do "amo quem me convém". Ainda não resenhei o primeiro aqui, mas logo mudo isso.



O beijo das sombras - Academia de vampiros #1 - Duas amigas me incentivaram a começar essa série já que tem filme a vista e meus 3 primeiros volumes já tem anos de comprados e eu nada de ler. Ainda não deu para sacar porque tanta gente ama a história da Rose, mas como curti a leitura, vou continuar a série.








Persuasão - Clássico inglês da Jane Austen, história com um humor ácido e uma crítica social unidos da uma maneira que só esta autora soube fazer. Recomendadíssimo.




 Confissão - Paula Pimenta em seu momento poetisa. Muito legal conhecer esse lado da autora de Fazendo meu filme e Minha vida fora de série.







Sou uma leitora assídua de mangás, então aproveitei bem este mês.




O mito de Arata #8, #9, #10 e #11 - Com o passar dos volumes, a história dos dois garotos chamados Arata que trocam de lugar vai ficando mais e mais densa e estes volumes mostraram que existe muito mais nessa troca do que os dois garotos podiam imaginar.




Death Note - Black Edition #1 - O primeiro volume já tem tanta coisa acontecendo que li em doses homeopáticas para entender e aproveitar mais tanto do roteiro intrincado quanto da arte maravilhosa. Saraiva, dá para liberar o meu volume #2?







Rurouni Kenshin #6 e #7 - Conhecido como Samurai X aqui no Brasil, este mangá é uma aula de história japonesa misturado com lutas e golpes de samurais. Seu arco mais famoso começa no volume 7 e eu mal posso esperar para saber se o animê mudou muita coisa em relação ao mangá.






PxP - Shoujo bem divertido, mas sem um enredo muito trabalhado. Vale pela diversão.








Nura - A ascensão do clã das sombras #10 e #11  - Volume 10 com enredo e arte perfeitos! O mangaká está se superando e fico feliz de não ter desistido da série (o primeiro volume é sofrível). Já o #11, eu esperava mais. Não que este seja ruim, mas não teve o mesmo clímax que o anterior. De qualquer forma, tem um bom gancho para o volume 12.







Diário do Futuro #7 - Sério, Yuno me assusta muito! E este mangá só fica melhor, incrível isso. O final desse volume me fez ficar de boca aberta e não vejo a hora de ler o #8. Envia o meu logo, JBC!









Code Geass #8 - Volume final da Rebelião de Lelouch teve um bom desfecho. Série se destaca pelo anti-herói e suas questões sobre como atingir seus objetivos. Afinal, por uma boa causa, o fim justifica realmente os meios?





No mês de agosto lemos isso. No próximo vamos tentar deixar mais organizado e postar no comecinho do mês.

Beijos!

domingo, 8 de setembro de 2013

RESENHA: Paperboy

Fabiana Araújo

Sinopse skoob: "Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James.
As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes.
Best-seller do The New York Times, Paperboy é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética."


 Enfrentando uma ressaca literária há quase dois meses peguei esse livro pra tentar ler. Não foi uma decisão muito inteligente, mas como este livro ganhou uma adaptação com Nicole Kidman achei que, dos que eu tinha aqui pra ler, seria o que mais me animaria. O livro tem um estilo bem diferente do que estou acostumada a ler, achei curioso o fato do autor só nos revelar o nome de seu narrador- personagem 40 páginas depois do início da estória. E também o fato de ser um livros sem divisão de capítulos rsrs

Confesso que gostei mais da construção dos personagens e toda a sua carga psicológica do que do enredo em si. Embora o autor tenha conseguido  nos apresentar uma narrativa envolvente e misteriosa, na minha opinião, ele deixou a desejar nos detalhes do desfecho. O leitor termina o livro se perguntando o porquê de certos acontecimentos, ou que destino levou tal personagem. Como sou uma leitora curiosa fiquei com essa sensação de 'mas acabou?' Volta aqui e me conta o que houve com...

Falando em personagens meu favorito é Charlotte Bless! Aham, depois de analisar muito essa 'louca' é a minha favorita. rsrs Pete Dexter foi certeiro ao criá-la, meio que não sabemos o que raios se passa na cabeça dessa mulher que se mostra tão atraída e envolvida por foras da lei, presidiários e afins. Ela é seduzida pela estória de Hillary, afirma que ele é inocente e quer se casar com ele mesmo toda uma cidade e a justiça tento o condenado a cadeira elétrica. Um outro personagem que merece destaque logo que aparece é Ward. Um jornalista meticuloso que não descansa enquanto não desvenda todos os mistérios, investiga cada fato e vai atrás de cada resposta para suas perguntas.Mesmo que isso possa o colocar em perigo. 

Uma trama psicológica que vai prender a atenção do leitor. Não recomendo o livro e nem o filme para menores de idade, pois ambos contêm cenas de violência, apelo sexual e temas inadequados.

Sobre o filme: Em 2012 'Paperboy' ('Obsessão' no Brasil) chegou as telinhas americanas com Nicole Kidman no papel de Charlotte Bless e John Cusack como Hillary Van Wetter. Tive a oportunidade de conferir a adaptação e os atores arrasaram em seus papel, conseguiram captar perfeitamente os personagens. Para as fãs do ator Jac Efron ele passa metade do filme em trajes baixos. Mas quem sou eu pra reclamar não é mesmo?
 

Trailer: 



Sobre o livro:

Titulo: Paperboy
Autor: Pete Dexter
Editora: Novo Conceito
Páginas:333