quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Resenha “A Pirâmide Vermelha – Rick Riordan”

Sinopse

"Na obra "A Pirâmide Vermelha", os irmãos Carter e Sadie Kane vivem separados desde a morte da mãe. Sadie é criada em Londres pelos avôs e Carter viaja o mundo como o pai, o Dr.Julius Kane, um famoso egiptologista. Levados pelo pai ao Bristish Museum, os irmãos descobrem que os deuses do Egito estão despertando. Para piorar, Set, o deus mais cruel, tem vigiado os Kane. A fim de detê-lo, os irmãos embarcam em uma perigosa jornada em busca que revelará a verdade sobre sua família e sua ligação com uma ordem secreta do tempo dos faraós."

Editora Intrínseca, 2010
448 páginas
Preço Médio: R$ 39,90
Hotsite: http://www.ascronicasdoskane.com.br/
Saiba onde comprar aqui.


Não é a primeira vez que um autor usa mitologia como pano de fundo para um livro.

O próprio Rick Riordan bebeu na fonte grega da inspiração para escrever seu “Percy Jackson e os Olimpianos”, série de cinco livros (além do “Os Arquivos do Semideus") que contam as aventuras do jovem que se descobre descendente de um dos volúveis deuses do panteão grego.

Dessa vez, no entanto, a inspiração foi repousar ao longo do Nilo nos braços de uma das mais antigas e fascinantes civilizações da história: os egípcios e suas divindades!

“A Pirâmide Vermelha” é o primeiro volume da série “Crônicas dos Kane” que conta a história de uma família envolvida até as raízes da sua árvore genealógica nos assuntos dos Deuses do Antigo Egito, que parecem estar despertando novamente.

A partir de um evento insólito, Carter e Sadie Kane – dois irmãos que, até então, de comum só tinham o sangue e muito pouco se conheciam - são lançados numa jornada onde são perseguidos por pessoas vestidas de modo estranho, tem de fugir de criaturas que ninguém mais parece notar e serem cuidados por vigias-crocodilos e babás-babuínos fãs dos lakers.

Tudo começa quando Julius Kane, um egiptólogo renomado, provoca uma comoção durante uma visita à exposição egípcia no British Museum. Por comoção entenda-se ‘explosão’, que resulta numa aparição nada humana que por sua vez desencadeia uma série de eventos inexplicáveis e potencialmente devastadores para a humanidade – além do desaparecimento do próprio Dr. Kane no processo, claro.

Além de lidar com a súbita convivência, nossos heróis precisam compreender o que de fato aconteceu com seu pai, o que é “A Casa” e porque estão sendo perseguidos por ela e, principalmente, porque de repente eles começam a sonhar que são galinhas do pescoço para baixo!

O formato da narrativa em si é genial: trata-se de uma suposta (ou não) transcrição de um áudio em que os dois irmãos se revezam para contar a história. Desse modo, os capítulos em primeira pessoa ora ficam a cargo de Sadie, ora de Carter – sendo que, com frequência, um se intromete na fala do outro, palpitando, zombando ou se estranhando, como qualquer dupla de irmãos adolescente – pais, não se preocupem: Rick evitou a transcrição de safanões e xingamentos mais “tensos” entre os irmãos. Graças a Rá!

Todos os elementos que fisgaram leitores na história do filho de Poseidon estão lá: uma saga de aventuras mirabolantes, um desfile de poderes místicos, missões grandiosas e muitas – muitas! - tiradas divertidas, como é comum aos personagens de Riordan. Além disso, os títulos dos capítulos hilários continuam fazendo a alegria dos fãs do autor.

Qualquer leitor fã de histórias fantásticas vai se deleitar ao notar que “os clássicos” do mundo da magia - varinhas, portais de transporte, mundo das sombras, objetos de concentração de poder mágico – estão ali não por clichê, mas porque têm a religião egípcia antiga como uma das suas origens.

Nessa série percebe-se o nítido amadurecimento do autor em relação aos trabalhos anteriores. Não me olhem com olhos de medusa (ou de Rá, que pode ser potencialmente pior...): eu sou uma fã absoluta da série do cabeça de alga.

Mas em “A Pirâmide Vermelha”, Rick eleva um nível desenvolvendo uma história densa, mas de fácil leitura, com uma sensibilidade tocante, mas ao mesmo tempo extremamente divertida, com personagens que são poderosos, mas muito humanos nas suas dúvidas mais íntimas ou implicâncias fraternais diárias. Por isso mesmo - e o melhor de tudo - é que tudo parece extremamente possível e com sentido, mesmo que fantástico.

A sensação é que qualquer um de poderia ser um escolhido dos deuses. (E de acordo com as fitas gravadas por Carter e Sadie, é exatamente assim que acontece.)

Leia o livro, mas esteja avisado: grandes poderes trazem grandes....consumos de energia! (piada interna. Leia o livro e descubra por si mesmo!)

FICOU curioso? Primeiro capítulo aqui.

* * *

A Fábrica teve a honra de realizar o evento de lançamento d'A Pirâmide Vermelha em 27/11/2010 na Saraiva Megastore do Diamond Mall em BH!

Veja as fotos e um resumo do que rolou em nossa página do Facebook!


5 comentários:

  1. Pronto!! Vc conseguiu!! Minha filha tava aqui ao lado lendo junto e agora tá me pentelhando pra comprar!hehehehe

    Ela AMA PJ e agora se enfezou pra comprar Pirâmide Vermelha também! hehehehe

    Parabéns pela resenha amiga!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Ah sim! Muito obrigado por me fazer vontade em ir correndo comprar o livro, muito obrigado mesmo! Hahahahaha... ok, comentários da resenha, acho que o Rick Riordan foi genial em misturar mitologia egipcia com algo juvenil, acho que ele roubou minha ideia... huuum... mas tudo bem. Beijoos

    ResponderExcluir
  3. Ficou PERFEITA amiuga... e nem tá difícil!! êEÊêÊEEÊEÊ^... Só acabar o Terra de Sombras que vou começar a ler esse! Não resistirei! =p

    ResponderExcluir
  4. Tá vendo, Nina?! A gente se esforça por atender aos leitores! DIGIVOLUIR sempre! Rafa: eu SEMPRE tenho a sensação que um autor roubou uma idéia minha de dentro do meu baú de idéias supimpas! Mas pior e a sensação de "pôxa, EU podioa perfeitamente ter escrito isso..."

    ResponderExcluir
  5. A resenha ta ótima!!!
    Preciso desse livro!! Eu amo PJ
    beijooooos
    Livros e blablabla

    ResponderExcluir