domingo, 11 de dezembro de 2011

RESENHA: Pequeno Irmão


SINOPSE: Marcus, pseudônimo "w1n5t0n", só tem 17 anos, mas acha que sabe tudo sobre como o sistema funciona - inclusive como passar a perna nele. Esperto, rápido e escolado no mundo da internet, Marcus não tem problema nenhum em burlar os sistemas de segurança invasivos - mas não muito inteligentes - da escola.
Quando ele e os amigos se veem encurralados após um gigantesco ataque terrorista em São Francisco, sua vida muda totalmente. No lugar errado, na hora errada, Marcus e os outros são presos pelo Departamento de Segurança Nacional e levados a uma prisão secreta, onde serão interrogados sem misericórdia por dias sem fim.
Depois de finalmente serem liberados, Marcus descobre que a cidade está sob novas diretrizes, e cada cidadão é tratado como um terrorista em potencial. Ele sabe que ninguém vai acreditar na sua história, então só lhe resta uma saída: derrubar o sistema com as próprias mãos.

Esse livro é um daqueles que vai te deixar impressionado muito depois de você terminá-lo. Eu mesmo troquei a senha de todos os meus e-mails e do meu celular, depois de ler. É que o autor, Cory Doctorow, toca em temas muito poderosos com esse livro: tecnologia, privacidade e terrorismo.
Marcus é um adolescente comum, viciado em tecnologia, inteligente e determinado, que gosta de jogos no estilo RPG. Um dia, depois de burlar todo o sistema de sua escola para matar aula e ir jogar Harajuku Fun Madness com os seus amigos, eles se vêem no meio do caos quando a sua cidade, São Francisco, sofre um atentado terrorista.
Confundidos com terroristas, Marcus e seus amigos são apanhados e detidos pela ASN. Depois de liberados, suas vidas passam a ser monitoradas pela Agência, que ainda não tem certeza se eles são ou não terroristas.
Privacidade é a segunda coisa que Marcus perde (a primeira é a dignidade...) depois de ser apanhado. Toda a sua vida está disponível para o governo. Eles têm acesso ao seu celular, ao seu computador, à tudo. Cory na verdade está nos mostrando exatamente o quanto estamos expostos, o quanto é fácil saber sobre nós hoje em dia. Alguém discorda? Então dá uma corridinha no seu Twitter ou no seu Facebook ou seja lá qual for a mídia social que você usa, para ver se não há muita informação sua disponível para quem quiser ver. No caso do governo, é "pior" ainda, porque eles têm acesso não só às informações que você quer compartilhar, mas principalmente às demais.
O conceito de terrorismo também é questionado no livro. Em dado ponto, Marcus diz que a intenção dos terroristas é aterrorizar, e que a ASN o aterroriza. Essa frase é boa para reflexão.
Outra coisa polêmica que Cory explora em seu livro, são as invasões de sistemas. Enquanto a maioria das pessoas vê isso como um crime, ele também aponta que, ao invadir um sistema, a pessoa mostra exatamente aonde esse sistema deve ser melhorado, aonde ele está vulnerável. É um pouco como acontece no filme A Rede Social, mas um pouco pior. Mark Zuckerberg nunca passou pelas coisas que Marcus passou... eu acho.
Ao decorrer de todo o livro, o autor demonstra situações perfeitamente plausíveis e então levanta questões que a maioria das pessoas nunca se faz. Ele nos mostra que a nossa privacidade é quebrada e destruída em situações cotidianas, e questiona porque ninguém se importa com isso. Bom... depois desse livro, acho que eu me importo. E talvez vocês se importem também, depois de ler.
E como diria Andrew "bunnie" Huang no segundo posfácio do livro... "saia de casa e ouse ser livre".

Sobre o livro
Título: Pequeno Irmão
Autor: Cory Doctorow
Editora: Galera Record
Nº de páginas: 390

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Nossa com certeza eu quero ler, se so com a resenha já fique impressionada, imagina com o livro???

    ResponderExcluir
  3. Gui! Quer me deixar doida pelo livro, é? Se sua intenção for essa, conseguiu! parece ser tudo de bom!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nossa sua resenha ficou perfeita ... já inclui ele na minha lista de compras para o natal =)
    Me lembrou o livro 1894 que li a anos e é um clássico né??? Só que esse é mais atual, tô louca para ler =)

    Obrigada pela visita ao meu blog e claro que já estou te seguindo, vc escreve muiiiito bem =)

    ResponderExcluir
  5. Gente, amei a resenha quero muito ler este livro Monique, PEQUENO IRMÃO faz meu tipo de livro, acho até o título uma ironia com relação ao GRANDE IRMÃO do livro 1984 do George Orwell!
    Mega cheiros da Serena!

    Site: leitorcabuloso.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sim! Eu me esqueci de mencionar a interação entre Pequeno Irmão e George Orwell. Que vergonha, porque era a idéia central pra resenha quando eu planejei... XD

    ResponderExcluir