segunda-feira, 9 de julho de 2012

RESENHA: Delírio (Delírio #1)


Monique Melo

Você já imaginou um mundo onde o amor é considerado uma doença? Lena vive em Portland vários anos depois da “cura” ser descoberta. Ela tem quase 18 anos e espera ansiosa para sua vez de se livrar desta ameaça. Com um passado bastante conturbado, ela crê que os governantes estão cuidando para que sua vida e de todo cidadão seja boa e segura. Alguns meses antes do esperado dia chegar, um incidente no laboratório planta a dúvida: seria realmente certo viver uma vida sem emoção? 

“É o mais mortal entre todos os males: você pode morrer de amor ou da falta dele.” - Página 9.

Delírio é uma distopia um tanto diferente. Pelo menos foi o que senti quando li. Achei muito criativa a ideia da Lauren, a realidade que ela criou realmente me instigou. É verdade que muita gente alega sofrer por amor, mas valeria a pena deixar de sentir tudo só para não sofrer? (Não posso responder por ninguém, mas eu odiaria. Tudo que passamos momentos bons e ruins servem nosso desenvolvimento. Mas é claro que os governantes em Delírio não acham isso).
Lena, a personagem pela qual vemos os acontecimentos, realmente acreditava que a cura era solução para tudo. Até que ela se apaixona e tudo muda. A Lauren exagera bem os sentimentos da Lena, o que creio que foi intencional já que a personagem nunca sentiu (ou suprimiu a lembrança de ter sentindo) esse tipo de sentimento. O romance é meloso e a Lena divaga muito sobre seu relacionamento o que normalmente eu acharia muito ruim, pois não sou fã de romance muito açucarado, mas creio que funcionou bem para Delírio.

“Amor: ele vai matá-lo e salvá-lo, ao mesmo tempo.” - Página 307.

Seu relacionamento e o dia a dia de Lena são a janela que nos apresenta a vida totalmente cheia de medo e indiferença que os cidadãos vivem. Também é por sua rotina que conhecemos personagens como o Alex, Hana, Grace... Bons personagens que, de diversas formas, afloram os sentimentos de Lena.

“Ódio não é o mais perigoso, dissera ele. É a indiferença.” - Página 283.

Mesmo com poucas cenas de ação, o livro tem um ritmo muito bom. Achei bem interessante conhecer a realidade da Lena e como as coisas mais bobas, como sua cor e seu livro preferido poderiam te transformar em uma potencial portadora da doença. Também gostei da descrição da “Selva” e como os inválidos estavam presentes nos mais diversos lugares.

Este é meu segundo livro da Lauren Oliver (o outro em breve terá resenha aqui) e eu posso dizer que me tornei fã dessa autora. Ela escreve super bem o que se propõe e eu achei difícil ter vontade de parar de ler. Principalmente depois de um final emocionante como este. Que venha Pandemonium!

Sobre o livro:
Delírio
Série: Delírio
Volume: 01
Autora: Lauren Oliver
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Site da autora: http://www.laurenoliverbooks.com/
Twitter da Autora: @OliverBooks
Book Trailer:

9 comentários:

  1. Li "Antes que eu vá", e me encantei com a escrita da autora, tenho a impressão que ela manteve seu nível de escrita nesta nova obra. Não gostei de ver que a parte do romance é meloso, pois sempre que isso acontece a narrativa nunca consegue me prender; mas como eu achei a premissa do livro bem interessante, tenho vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da tua resenha, Monique. É basicamente o que eu acho.
    Engraçado que eu não gosto de romance meloso, mas nem achei que é meloso. Acho que intenso demais, principalmente para pessoas tão jovens, mas como você disse, é proposital e funciona super bem. Achei um livro bem poético.
    E mal posso esperar pela sequência. Adorei a provinha que vem no final do livro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei esse livro quando eu li. Foi a minha primeira sociedade dispótica. Concordo com você sobre normalmente detestar o romance açucarado, mas em Delírio funciona tão bem, que eu quase nem senti todo esse doce... rsrs Adorei sua resenha Monique ;)

    Beijos
    Ann G. anngominho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ola!!!
    Concordo com você Monique, apesar de sofrermos muitas vezes por amor, temos que vivê-lo para nosso próprio amadurecimento. É uma distopia diferente, mas que faz sentido, as pessoas sem sentimento é mais fácil de manipular.Esse livro me lembra muito o filme Equilibrium com Christian Bale em que a sociedade tomavam pílulas para não terem sentimentos. Muito bom, amei a resenha.
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  5. Oii, essa resenha só me deixou mais curioso pela leitura do livro.
    Há um tempo quero lê-lo, mas ele sempre era afastado das prioridades da lista de leituras.
    Espero lê-lo em breve e tirar minhas conclusões, já que estou muito viciado em distopias ultimamente.
    Beijos. Adorei a resenha.

    Patryck Pontes
    http://umportalliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Estou ansiosa pra conhecer mais essa história que te envolveu. Não esperava que fosse tão boa. Vou experimentar ler também. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. só digo uma coisa, aquele cachorro não eh de Deus... ou então ele não sabe morder.... mas fora isso eu super curti a leitura

    ResponderExcluir
  8. Aline Ramos Costa19 de julho de 2014 00:46

    Fiquei super curiosa pra ler esse lviro devido à premissa e à linda capa...Quando li essa distopia, fiquei fascinada pela criatividade da Lauren. O livro é fantástico, tem de tudo que eu gosto e nos faz querer devorar ada página... Arrasou na resenha, vc conseguiu captar a essência do livro.Parabéns..bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu quero muito ler está serie muitas pessoa falam que ela é boa, mas ela tem uns altos e uns baixo!!!

    ResponderExcluir