segunda-feira, 25 de maio de 2015

RESENHA: Aos 7 e aos 40



Aos 7 e aos 40 é a história de uma vida contada em dois tempos, infância e meia-idade, de maneira a sublinhas a distância irrecuperável, aberta pela passagem de cada dia, entre o que fomos e aquilo que nos tornamos. Marca dos belos livros de contos escritos pelo autor, esse tempo elegíaco, em que a aparição e desaparecimento se confundem a todo instante, ganha uma força nova por meio da estrutura narrativa engenhosa deste seu primeiro romance.

Sabe aquela leitura que você começa sem esperar nada e acaba amando a forma que o livro é desenvolvido? Foi o meu caso com “Aos 7 e aos 40”.
Quando a infância é retratada, os acontecimentos não são lineares e contam momentos importantes na vida do protagonista. Ao falar da vida adulta - essa fase, sim, com acontecimentos em ordem cronológica -  vemos como o autor tenta fazer o paralelo entre este momento e as experiências vividas na infância. Foi uma forma muito dinâmica de contar sobre a vida do personagem e faz o leitor se sentir íntimo dele, mesmo que não saibamos em momento algum o seu nome.


É muito interessante também como a diagramação do livro reforça essas duas fases: quando a história se remete a época em que o protagonista tem 7 anos o texto é escrito do início da página até a metade, quando se trata da época em que ele tem 40 anos, o texto é da metade da página para o final.

Não vou me aprofundar para não contar demais sobre o livro, que é bem curtinho,  mas é uma leitura muito boa, com a narrativa muito agradável e que cria uma identificação com o leitor já que se trata de acontecimentos do cotidiano. Já estou lendo outro livro do autor e logo posto minha opinião.

Sobre o livro:
ISBN: 9788540504370
Autor: João Anzanello Carrascoza
Editora: Cosac Naify
Ano: 2013
Páginas: 160

4 comentários:

  1. Fiquei curiosa. Tanto pela premissa quanto pela maneira de contar a história em pedaços da página... Algo inusitado pra mim... adorei essa capa, a cosac sempre traz um trabalho impecável em seus títulos ^^

    ResponderExcluir
  2. Legal ver uma história contada através de uma personagens em dois momentos de sua vida. O que achei interessante é que a parte mais experiente não está no fim da vida. Enfim, fiquei curioso.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  3. Parece interessante. Primeira vez que leio algo a respeito dese autor e não nego que fiquei curiosa a respeito. Vou ver e consigo ler. Espero apreciar também. Valeu a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. RUDYNALVA SOARES2 de junho de 2015 21:28

    Monique!
    Nem ouvi falar do livro, entretanto gostei pelo fato de já ter pensado em escrever algo dessa forma, que retratasse o tempo da minha infância e o tempo atual, fazendo meio que uma comparação de como tudo mudou.

    Desejo uma ótima
    semana e um mês carregadinho de sucesso!

    “Sábio é aquele que
    conhece os limites da própria ignorância.”(Sócrates)

    Cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir