sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

RESENHA: O navio do mortos (Magnus Chase e os Deuses de Asgard - Livro 03)

Nos dois primeiros livros da série, Magnus Chase, o herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain, ex-morador de rua e atual guerreiro imortal de Odin, precisou sair em algumas jornadas árduas e desafiar monstros, gigantes e deuses nórdicos para impedir que os nove mundos fossem destruídos no Ragnarök, o fim do mundo viking. Em O navio dos mortos, Loki está livre da sua prisão e preparando Naglfar, o navio dos mortos, para invadir Asgard e lutar ao lado de um exército de gigantes e zumbis na batalha final contra os deuses. 
Desta vez, Magnus, Sam, Alex, Blitzen, Hearthstone e seus amigos do Hotel Valhala vão precisar cruzar os oceanos de Midgard, Jötunheim e Niflheim em uma corrida desesperada para alcançar Naglfar antes de o navio zarpar no solstício de verão, enfrentando no caminho deuses do mar raivosos e hipsters, gigantes irritados e dragões malignos cuspidores de fogo. Para derrotar Loki, o grupo precisa recuperar o hidromel de Kvásir, uma bebida mágica que dá a quem bebe o dom da poesia, e vencer o deus em uma competição de insultos. Mas o maior desafio de Magnus será enfrentar as próprias inseguranças: será que ele vai conseguir derrotar o deus da trapaça em seu próprio jogo?

Chegou ao fim mais uma série escrita por Rick Riordan e vou confessar que foi difícil dar adeus a Magnus e companhia. Com a narrativa ágil, divertida e cheia de mitologia nórdica, os três livros de "Magnus Chase e os Deuses de Asgard" me trouxeram muito conhecimento, além de horas prazerosas de leitura. 

A ênfase no grupo, nas qualidades individuais fortalecendo o todo, com certeza é um dos pontos que curto muito na história. Como Magnus, ao contrário de Percy e Jason, tem habilidades menos combativas, ele se destaca mais pelos poderes de cura e seus sentimentos pelos amigos. Ele demonstra isso o tempo todo e foi de grande importância para sua jornada ter ciência da confiança mútua entre seus amigos.

Esse grupo, formado por pessoas tão diferentes, reforça a convivência entre diferentes gêneros, credos e origens, como vem acontecendo durante toda a trilogia. E Riordan vai mais além e torna relacionamentos possíveis no âmbito romântico e eu confesso que adorei quando finalmente aconteceu. Estava torcendo desde "O martelo de Thor" por eles.

Mesmo com sua fórmula presente, o autor nos surpreende com atenção aos detalhes, sem esquecer nenhum personagem e ainda fazer ligações com suas outras séries. O lado humanitário de Magnus é muito presente e isso se mantém até o último capítulo. 

Vou sentir falta de Magnus, Alex, Sam, Hearthstone... De todos os personagens cativantes e representativos que, pelas mãos do Rick Riordan, tornaram os nove mundos interessantes e convidativos, além de divertidos.

Sobre o livro: 
ISBN: 9788551002476
Série: Magnus Chase e os Deuses de Asgard
Volume: 03
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Ano: 2017 
Páginas: 368

Nenhum comentário: