domingo, 7 de novembro de 2021

Assistimos na Fábrica: Outubro 2021

 Meu Outubro foi cheio de dramas maravilhosos e alguns eu assisti fazendo maratona de tão animada! Vamos conferir?

Move to heaven (drama sul coreano 2021): A sensibilidade do roteiro deste drama não deve ser esquecida jamais. Começa pelo plot: um empresa que tem como serviço fazer limpeza de locais onde pessoas morreram. A cada chamado, conhecemos um pouco mais dos nosso protagonistas Geu-ru e Sang-Gu, sobrinho e tio que nunca conviveram e precisam morar juntos agora. Enquanto Geu-ru tem Asperger e teme mudanças, Sang-gu parece não se apegar nem respeitar nada. A dinâmica entre duas pessoas tão diferentes, mas igualmente feridas dá o tom do drama e, nossa, o que eu chorei assistindo! As mensagens são muitas, nos fazem refletir sobre como tratamos nossos entes queridos, como não sabemos das dores dos outros e como, na morte, ainda podemos entender um pouco de quem se foi. As atuações são marcantes e eu não esperava menos do Lee Je Hoon (Sang-Gu) que fez Taxi Driver, ele sempre arrasa. Mas eu não estava preparada para o show do Tang Jun Sang, ele é maravilhoso como Geu-ru, a forma de falar e o gestual estão perfeitos. Eu amei cada detalhe e tem na Netflix, viu? Não tem desculpa para não assistir.


Lovers of the red sky (drama sul coreano 2021): O drama chegou ao fim fechadinho, mas senti que perdeu um pouco de ritmo e impacto a partir do episódio 10. Alguns acontecimentos foram repetitivos, inclusive acontecendo no mesmo episódio e depois ficou corrido em momentos que, ao meu ver, pediam mais tempo de tela. De qualquer forma, gostei de ver o quanto os elementos fantásticos foram presentes, a força dos personagens, as interpretações, fotografia e a produção com um todo. 


My name (drama sul coreano 2021): Muito comentado My name é um drama que não dá tempo de respirar, todos os oito episódios nos reservam cenas de ação, violência e drama e a Han So Hee foi muito bem no papel principal. O enredo não é nada inovador, e dá para adivinhar várias coisas, mas achei bem executado, com personagens carismáticos e episódios que me deixavam sempre curiosa sobre o que esperar para a JiWoo e sua vingança.


Dali and the Cocky Prince (drama sul coreano 2021): Passada como o Kim Min Jae saiu de um personagem quieto, sofrido e comedido para o falante, barraqueiro e seguro Jin Moo Hak Amei a mudança e toda a dinâmica que o drama está apresentando, em especial as diferenças (e semelhanças) entre o Moo Hak e a Da Li. Ele teve uma vida difícil e encara os problemas de uma maneira bem realista enquanto a Da Li é muito competente, mas desprovida de experiências reais. O plot também envolve arte, um pouco de mistério e um ex noivo que não larga do pé. Estou me divertindo muito.


Yumi's cells - 1ª temporada  (drama sul coreano 2021):  A versão coreana de Divertidamente! Brincadeiras a parte, o ª drama tem como protagonista a Yumi e suas células. É muito engraçada a escolha do webtoon em mostrar amor, razão, sensibilidade, fome, entre outros, em ação e como isso implica na vida da Yumi, e creio que conseguiram fazer essa representação muito bem através de animação no meio do drama. O envolvimento dela com o Wung, as dúvidas, confiança e as atitudes necessárias para amadurecer e se entender são questões abordadas e eu curti muito essa visão mais real dos relacionamentos, tanto nas partes tristes quanto nas felizes. Doida pela segunda temporada!


The great shaman Ga Doo Shim (drama sul coreano 2021): Outro final bom, mas que deixou gostinho de quero mais. Finalmente nossos protagonistas foram encarar o causador de tantas coisas ruins e assim também abriram suas mentes para o próprio futuro. Os atores principais foram ótimos, não que tivesse dúvidas sobre isso e espero que tenha segunda temporada. 


You raise me up (drama sul coreano 2021): Eu me divertir bastante assistindo, ainda que tivesse algumas questões pesadas sendo abordadas como a busca por emprego e sucesso, e o impacto dessas cobranças na vida das pessoas. Ver a Coreia do Sul arriscando produzir um drama que fala sobre impotência sexual foi impressionante assim como ver uma personagem trans. Ainda foi bem falha essa abordagem e precisa ser criticada sim para que haja melhora, porém gostei de ver essa abertura. Não é um drama maravilhoso, mas diverte e faz refletir. 


Koi Desu: Yankee-kun to Hakujou Garu (drama japonês 2021): Meu drama amaorzinho do momento! Koi Desu tem como protagonista uma garota que é deficiente visual (só enxerga borrões) e um rapaz considerado um deliquente. Eles e conhecem sem querer e iniciam uma amizade que muda muito a perspectiva de vida deles. É fofo, romântico, divertido e trata a deficiência visual de forma responsável. Em alguns momentos o drama para para que um comediante cego explique algumas coisas sobre a deficiência e as ferramentas usadas pelas pessoas com deficiência para ajudar no dia a dia. Estou amando! 

Me contem o que vocês estão assistindo!

Nenhum comentário: