segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

RESENHA: Graffiti Moon

Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro. Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa? O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade. A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida. Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Curiosidade com certeza definiria o que senti antes de começar Graffiti Moon, principalmente quando li que a história se passava em uma noite. Realmente gosto das possibilidades que esse tipo de enredo proporciona e como o assunto artes estava incluso, obviamente fiquei mais animada.

O livro alterna os capítulos entre a visão da Lucy e do Ed, e ainda temos alguns textos do Poeta que permeiam os acontecimentos dessa noite peculiar. A arte é tão protagonista dessa gostosa história quanto Ed e Lucy e a Cath não se restringe ao romance ou a arte: ela vai além e nada no enredo é deslocado ou desnecessário, tudo faz parte da aventura que é esta busca pelo Sombra.

Os personagens são bem desenvolvidos e tem certa carga dramática que não é explorada diretamente, e sim por meio do aprofundamento dos seus sentimentos pela arte e expressada através dela. Tudo é exposto de uma forma muito poética e cheia de simbolismos e que atende perfeitamente a proposta da autora.

Os amigos dos protagonistas são tão diferentes entre si, mas ainda sim, cheios de união e camaradagem, principalmente Ed e Leo. A variedade de interações deste grupo só deixa o livro ainda mais interessante e rico, afinal a vida de nenhum deles é perfeita e todos tem seus próprios obstáculos a superar.

É um livro pequeno, sem enrolações e que, mesmo não parecendo, tem um conteúdo tão cheio de referências que achei impossível não gostar. Cheguei a pesquisar algumas obras sobre as quais os personagens conversam e fiquei fascinada como a autora transformava as interações deles sobre as esculturas e pinturas em uma aula de sensações e descobertas. Sua narrativa é ágil, fluida e não cansa e o ótimo trabalho da autora é reforçado pela capa e pela diagramação bem executada. Preciso ler mais livros dela, com certeza!

Sobre o livro:
ISBN: 9788565859226
Autora: Cath Crowley
Editora: Valentina
Ano: 2014
Página: 240
Book trailer:


3 comentários:

  1. Eu adorei conhecer a história e principalmente a capa. Diferente e linda. Sua resenha me deixou mais curiosa a respeito da história. Vou ver se consigo ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. sou doida pra ler Esse livro, ele tem uma capa tão linda, e a história me chamou a atenção desde que li sobre ele um tempo atrás... não sei pq, mas ele me lembra um mangá xD

    ResponderExcluir
  3. Ola!!!
    Gostei do enredo e parece que a estória te conquistou de vez Monique!!! rsrsrsr Eu não sou tão ligada nestas artes e tal, mas confesso que lendo sua resenha fiquei intrigada para ler, pelo visto o livro vai bem além e esta mistura de poética na estória eu adoro!!!!
    Bjos

    ResponderExcluir