domingo, 3 de maio de 2020

RESENHA: Os pergaminhos vermelhos da magia (As Maldições Ancestrais - Livro 01)

Cassandra Clare e Wesley Chu lançam o primeiro livro da nova série que acompanha o feiticeiro Magnus Bane e o caçador de sombras Alec Lightwood enquanto viajam pelo mundo após a Guerra Mortal.
Tudo o que Magnus Bane queria era aproveitar suas férias pela Europa com Alec Lightwood, o Caçador de Sombras que, contra todas as probabilidades, finalmente é seu namorado. Mas assim que os dois se instalam em Paris, uma velha amiga chega com notícias sobre um culto de adoração a demônios chamado A Mão Escarlate, que está empenhado em causar o caos em todo o mundo – um culto que, aparentemente, foi fundado pelo próprio Magnus, anos atrás. Agora, Magnus e Alec vão percorrer o continente europeu para rastrear A Mão Escarlate e seu novo e ilusório líder antes que o culto cause ainda mais danos. Como se não fosse suficientemente ruim que suas férias românticas tivessem sido desviadas do trajeto original, os demônios agora estão perseguindo todos os seus passos, e está se tornando cada vez mais difícil distinguir amigos de inimigos. À medida que sua busca por respostas se torna cada vez mais complexa, Magnus e Alec precisarão confiar um no outro mais do que nunca - mesmo que isso signifique revelar os segredos que ambos mantêm.

Um livro sobre o casal mais amado de "Os instrumentos mortais" era tudo o que eu queria e nem imaginava o quanto ia amar ver Alec e Magnus como protagonistas absolutos de um livro. Claro que a Cassie não me desapontaria!

Quem acompanha as crônicas dos caçadores de sombras sabe que Magnus é o tipo de personagem cheio de camadas, onde as informações que vamos acumulando ao ler os livros são sempre uma parte pequena do que realmente temos para saber. Ele é um feiticeiro com séculos de vida, e, óbvio, não tem tanto tempo nas outras séries para desvendarmos seu passado. E isso muda com As maldições ancestrais.

E o Alec é nosso condutor sobre essa curiosidade, porque também a sente. Ele está em constante alerta para entender seu namorado, demonstrar que é digno da sua parceria, ao mesmo tempo que também é sua jornada de afirmação. Ele entende quem é, mas precisa enfrentar alguns empecilhos por conta a natureza de Magnus, mesmo pessoalmente não se importando com isso. Ele só quer o conhecer e amar.

Uma das grandes razões por eu adorar o livro é que trata da relação de Magnus e Alec como deveria, mostrando a vontade de se conhecer, de impressionar um ao outro, de se divertir e amar como qualquer casal, porque é exatamente o que eles são: um casal normal aprendendo um sobre o outro. Claro que temos o fato feiticeiro/ caçador de sombras e, sendo um casal LGBT para abrir algumas reflexões, mas no fim de tudo só são duas pessoas que se amam e estão juntas. Nada mais natural que isso.

O enredo que se desenrola a partir do passado de Magnus é interessante e caminha junto com essa etapa do relacionamento dele com Alec. É como o próprio Magnus: misterioso, engraçado, gentil. As pessoas vão se juntando a aventura e algumas delas são velhas conhecidas, como Raphael, Aline e Ellen. E claro que temos referências à outros personagens como Jace, Simon e Clary.

Como todo livro da Cassie, fiquei ansiosa a cada capítulo e gostei da diversidade das cenas. A parceria com Chu me pareceu promissora e não consegui ver grandes diferenças em relação aos livros escritos somente pela Cassandra. Devorei os capítulos sempre com a certeza de um enredo bem desenvolvido e escrito, e foi o que aconteceu. Espero agora pela continuação.

Sobre o livro:
ISBN: 9788501118288
Série: As maldições ancestrais
Volume: 01
Autores: Cassandra Clare e Wesley Chu
Editora; Galera Record
Ano: 2019
Páginas: 294

Um comentário: