sábado, 17 de junho de 2017

RESENHA: Contos da Academia dos Caçadores de Sombras

Os Caçadores de Sombras estão de volta numa novíssima aventura. Todas as histórias são verdadeiras. E, dessa vez, Simon Lewis está pronto para contar a dele.
Numa história contada em 10 contos que revisitam o passado dos Caçadores e aponta para uma nova direção, Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson e Robin Wasserman presenteiam os fãs da série com uma jornada de tirar o fôlego, cheia dos personagens que todos já amam.
Simon não se lembra do seu passado, das aventuras que viveu ao lado dos amigos... Nem sequer sabe quem é, de fato. Então, quando a Academia de Caçadores de Sombras reabre, o rapaz mergulha nesse novo mundo, determinado a se reencontrar. Mesmo sem ter certeza de que quer voltar a ser aquele velho Simon de antes.
Mas o local é muito hostil e Simon acaba enxergando muitos problemas em sua nova escola. Como o fato de os alunos mundanos serem obrigados a viver no porão, ou sofrerem com as piadas e os preconceitos dos Nephilim.
Numa jornada para se redescobrir, para voltar a se reconhecer entre os antigos amigos, como Clary Fairchild e sua amada Isabelle Lightwood (mesmo que ele não se lembre desse amor), Simon vai descobrir que pode ser mais do que antes. Que seu destino como Caçador de Sombras vai muito além de sua missão de voltar a ser quem era.

Ao contrário de muita gente que leu "Cidade dos ossos" e o outros livros da série "Os instrumentos mortais", eu sempre adorei o Simon. Ele é divertido e traz uma perspectiva mais pé no chão das coisas que aconteciam e suas tiradas irônicas foram muito bem vindas para mim. Imagina minha felicidade em ter um livro totalmente sobre o ponto de vista dele?

Lógico que vamos acompnhar um Simon que está tentando se encontrar depois de tudo que rolou com ele no final de "Cidade do fogo celestial". Suas ações e escolhas ainda são guiadas com o objetivo de entender quem foi e quem está se tornando. É um emaranhado emocional que leva a várias situações estranhas e tristes, mas que também ajuda Simon a ter mais autonomia, e a evolução das suas descobertas caminham junto com a história de outros personagens.

Os contos não tem somente o Simon como protagonista: muito de Will, Tessa e Jem é abordado, assim como sobre os Balckthorn e Magnus, embora mesmo quando essas histórias eram contadas, tínhamos os pensamentos do Simon sobre o que ouviu. Claro que muitos comentários sarcásticos, inteligentes e muito nerds estão presentes.

"O teste de fogo" foi um dos contos que mais gostei. Nele ficamos sabendo um pouco mais sobre a cerimônia parabatai, uma ligação que sempre me fascinou nas histórias da Cassie. Outro que amei foi o conto "Nascido para a noite sem fim" onde Magnus e Alec aparecem bastante e uma coisa muito legal acontece e não vou contar para vocês. Já em "O Herondale perdido" temos uma dica preciosa sobre um acontecimento do fim de "A dama da meia-noite", fiquei pulando quando percebi do que se tratava.

É recorrente que as histórias da Cassandra Clare tenham críticas a política em forma dos pensamentos dos personagens sobre a Clave, o governo dos caçadores de sombras. Esse paralelo é um dos pontos em seus livros que mais gosto e espero. Simon é como um porta voz da nossa indignação frente as injustiças e, nossa, como ele me representou.

É um livro grande que não me fez perceber sua quantidade de páginas. Os quatro escritores conseguiram por nos contos uma uniformidade onde não saberíamos que escreveu cada conto se não viesse especificado antes de cada história. A linguagem continua fluida, cheia de metáforas e descrição de sentimentos característicos das obras da Cassie, além das surpresas nem sempre boas. E não posso deixar de falar sobre as ilustrações no começo de cada conto, a Cassandra Jean sempre arrasa. É outro livro das "Crônicas dos caçadores de sombras" que vale muito a pena ler.

Sobre o livro:
ISBN: 9788501106858
Autores: Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson e Robin Wasserman 
Editora: Galera Record
Ano:2017
Páginas: 504

Nenhum comentário: