terça-feira, 3 de setembro de 2019

RESENHA: O labirinto do Fauno

Quando estreou nos cinemas, O Labirinto do Fauno encantou público e crítica com sua história que mesclava sonho e realidade, trazendo para o universo da fantasia o cruel cotidiano da Espanha fascista de Franco. Mais de dez anos depois, a produção permanece conquistando fãs e mostrando que boas histórias são atemporais.
Nesta edição mais do que especial, o escritor, diretor e roteirista mexicano Guillermo del Toro — a mente por trás do filme e um dos artistas mais inventivos dos últimos tempos — se une a Cornelia Funke, premiada escritora de contos de fadas modernos e autora da trilogia Mundo de Tinta, para narrar a jornada de uma menina pelo Reino dos Homens e pelo Reino Subterrâneo.
No ano de 1944, Ofélia e a mãe cruzam uma estrada de terra que corta uma floresta longínqua ao norte da Espanha, um lugar que guarda histórias já esquecidas pelos homens. O novo lar é um moinho de vento tomado pela escuridão e pela crueldade do capitão Vidal e seus soldados, dispostos a tudo para exterminar os rebeldes que se escondem na mata.
Mas o que eles não sabem é que a floresta que tanto odeiam também abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores, súditos em busca de sua princesa há muito perdida. Uma princesa que, segundo os sussurros das árvores, finalmente retornou ao lar.
No livro, a narrativa de Ofélia é intercalada com ilustrações e contos de fadas inéditos, baseados em elementos-chave de O Labirinto do Fauno. A obra é uma impactante ode ao poder das histórias, seja em imagens ou palavras, e a sua capacidade de transformar a realidade a nossa volta.

Não lembrava de praticamente nada do filme ao começar a leitura de "O labirinto do fauno" e creio ter sido uma coisa muito boa, pois consegui me surpreender, emocionar e ter bastante raiva, claro, como se nada conhecesse sobre o enredo. 

A narrativa e os acontecimentos passam bem longe de uma história para crianças: aqui estamos lidando com a realidade da vida em plena guerra civil espanhola. Lembro de ter lido uma vez (creio que foi no Omelete) que o filme não falava exatamente da perda da inocência frente momentos tão cruéis, mas sim da fantasia ser uma forma de manter a sanidade, e concordo muito com essa análise após a leitura do livro. A crueldade de Vidal, cada vez mais em evidência, parece ser o combustível para a imersão de Ofélia nas tarefas passadas pelo Fauno e no mundo novo que ele representa. Quanto mais suas perdas são dolorosas, mas sua esperança está ligada as promessas dele.

Também faz parte da sua esperança seu relacionamento com os livros. Ofélia se refugia bastante neles em seus piores momentos, e imagino ser uma passagem que qualquer amante de leituras se identifica. Eu, pelo menos, me identifiquei. 

O livro tem vários personagens que dão vida aos sentimentos variados que a guerra proporciona. Presenciamos a esperança de Carmem, a força de Mercedes, a resistência de Pedro. Cada personagem, mesmo com seus defeitos, tinha como objetivo sobreviver, ir em frente, ter perspectiva de uma vida melhor. Alguns com escolhas duvidosas, como Carmem, alguns encontrando coragem onde nem sabiam ter como o Dr. Ferreiro.

Críticas sociais e políticas fazem parte tanto da trama quanto esses sentimentos. A oposição entre esses aspecto e a fantasia presente no fauno fica bem evidente e é uma parte do livro que me agrada 
bastante. Para mim livros podem ser uma grande arma para combater desigualdades e sistema políticos opressores.

Cornelia Funke não se detém ao enredo original de Guilhermo Del Toro, ela insere contos que se ligam a determinadas passagens da trama original e enriquece a história, dando camadas ao que antes já cumpria seu papel, mas que agora ganha intensidade no significado. Saber mais sobre o fauno, o livro que acompanha Ofélia em sua jornada, entre outros pontos foi uma excelente experiência, principalmente quando unimos esses aspectos ao trabalho gráfico e as ilustrações maravilhosas do Allen Williams presentes no livro. 

Sobre o livro:
ISBN: 9788551005194
Autor: Guillermo Del Toro e Cornelia Funke
Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Páginas: 320




Um comentário: