sábado, 28 de dezembro de 2019

Lemos na Fábrica: Novembro 2019

Novembro também não foi um mês muito produtivo em relação às leituras, estive muito ocupada no trabalho, nos cursos e também com o novo membro da minha família. Posso não ter quantidade de leitura, mas qualidade não faltou.


"A tumba do tirano (As provações de Apolo, Livro 03)", Rick Riordan: O orgulho que senti do Apolo nesse livro! Ele vem amadurecendo durante a série, mas ficou mais evidente sua evolução nesse volume. Ele entende o tamanho da perda que sofreu e trabalha para que ela não se repita, além de questionar ainda mais suas atitudes como um deus. Riordan também toca em temas difíceis, mas importantes, em diálogos muito bem escritos. Resenha aqui.



"Your name", Makoto Shinkai: Apesar de já ter visto o filme e lido o mangá, ainda consegui me emocionar com a jornada de Mitsuha e Taki. Gosto de enredos desse tipo, que são poéticos, não dão muitas respostas, mas nos fazem refletir sobre as relações e o destino.


"Dia de domingo", Olívia Pilar: O conto "Dia de domingo" fala sobre o começo de namoro entre duas jovens e alguns percalços que elas enfrentam, inclusive em relação à família. É o segundo com da Olívia Pilar que leio e fico sempre com vontade de ver sua escrita numa obra com mais páginas, já que em tão poucas ela já faz um ótimo trabalho.


"O resto da história", Sarah Dessen: ou uma leitora apaixonada pelos livros da Sarah Dessen e suas temáticas familiares. Em "O resto da história" ela volta com o foco na relação mãe e filha, mas de uma forma diferente. Saylor perdeu a mãe e neste verão tem a oportunidade de conhecer um pouco mais do passado dela e sobre si mesma. Resenha no link.


"Lost Love and Other Stories", Jan Carrow: Li para o curso e achei bem legal, os enredos transitam entre o suspense e o sobrenatural e foi fácil de ler.


"Las Batallas en el Desierto", José Emilio Pacheco: Lido para o curso de espanhol, e foi uma leitura bem agradável sobre a paixão de um adolescente pela mãe de um amigo. A relação nunca chega a se realizar, mas o mais interessante é o contexto político-social usado na ambientação.

E vocês, o que leram em Novembro?

Um comentário: